O período de isolamento social é um desafio para todos. Nesse período, os cuidados com a saúde física, mental e inclusive, cuidados financeiros devem ser redobrados. Mais tempo em atividades online, maior vulnerabilidade emocional e exposição prolongada a apelos de consumo podem estimular a realização de compras por impulso. E, consequentemente, gerar problemas de endividamento futuro, inclusive porque existe a possibilidade de redução no rendimento individual e familiar. Para evitar dores de cabeça desnecessárias, a Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC) destaca oito cuidados financeiros fundamentais para esse período.

É provável que você também goste:

Prazos e pagamentos do FIES podem ser suspensos devido ao coronavírus

Boa notícia: Bolsonaro vai aprovar HOJE o coronavoucher de R$ 600 a R$ 1200

Link no WhatsApp permite ver se você tem direito ao auxílio emergencial do coronavírus?

Confira 8 cuidados financeiros fundamentais durante o período de isolamento social

1. EVITE EXCESSOS DE ESTOQUE:

Algumas pessoas estão comprando além do habitual com o objetivo de estocar, mas essa conta irá chegar. A prática de estoque é desnecessária, uma vez que, segundo informações das autoridades, o abastecimento de itens básicos será mantido. Na verdade, o momento exige cautela, compras necessárias e de itens essenciais.

2. FUJA DAS COMPRAS EMOCIONAIS:

Comprar pode ser prazeroso, ainda mais quando se pode fazer isso no conforto de casa. Mas antes é preciso avaliar bem a necessidade de cada item sem deixar que o impulso e a facilidade da compra online prejudiquem o orçamento no futuro próximo.

3. PRIORIZE O MÉDIO E LONGO PRAZO:

Toda economia está sendo afetada, e as empresas poderão precisar reduzir suas despesas. Por esse motivo, é necessário controlar os gastos para garantir a sobrevivência mesmo diante de potencial perda de emprego e renda.

4. REAVALIE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS CONTRATADOS:

Calma deve ser a palavra-chave ao pensar em empréstimos e financiamentos já contraídos. Procurar os credores e saber quais as possibilidades de renegociação é uma atitude necessária. O momento afeta a todos e muitas empresas estão dispostas a melhorar o diálogo com seus clientes.

5. USO DO CRÉDITO DE IDOSOS COM PARCIMÔNIA:

Os idosos, principalmente, que têm acesso a crédito consignado com base em suas aposentadorias, devem evitar contrair dívidas em nome de familiares. Essa recomendação é antiga, mas deve ser reforçada em períodos de maior vulnerabilidade financeira, pois o idoso que contrai uma dívida hoje para atender a um terceiro pode ficar sem possibilidade de atender a uma emergência médica no futuro.

6. FIQUE DE OLHO NAS PEQUENAS DESPESAS:

Ficar mais tempo em casa pode estimular pequenas compras de serviços como, por exemplo, streaming de vídeos e refeições prontas (ou delivery de refeições). É preciso cuidado, pois pequenas despesas, juntas, podem se tornar grandes dívidas.

7. DESCUBRA A IMPORTÂNCIA DA POUPANÇA:

Trabalhar em casa pode levar à redução de algumas despesas, como de refeições em restaurante, combustível, estacionamento, tarifas de deslocamento e entretenimento. Esse pode ser um bom momento para poupar uma parte desses valores, afinal as crises passam e o aprendizado é o que fica.

8. INVISTA NO SEU APRIMORAMENTO:

Aproveitar o tempo em casa de forma produtiva é aconselhável. Há diversos cursos online gratuitos de aprimoramento profissional que podem ser muito úteis na hipótese de perda de emprego. Um sobre educação financeira, por exemplo, pode ser precioso durante e após a quarentena.

Longos períodos dentro de casa também podem ser positivos para a organização da vida financeira. Por exemplo, é uma boa hora para revisar o orçamento e conferir a planilha mensal de receitas e gastos/despesas para verificar as contas que podem ser cortadas.

E para quem entrou na quarentena em situação de inadimplência, vale acompanhar os feirões para renegociação de dívida no ambiente online. A recomendação é ficar atento aos anúncios dos feirões nos sites dos birôs de crédito. Desconto expressivo no débito e pagamento em número maior de parcelas costumam ser oferecidos.

Sobre a ANBC

A Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC) é uma associação civil de direito privado, sem fins lucrativos que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento sustentável do crédito no Brasil. A entidade congrega os birôs de proteção ao crédito que atuam no território brasileiro e mantém relacionamento com associações internacionais para promover as melhores práticas do setor. A ANBC é membro da Associação de Fornecedores de Informação de Crédito ao Consumidor (ACCIS), entidade internacional que reúne 39 birôs de crédito e da Associação Latino Americana de Birôs de Crédito (ALACRED).

Enfim, gostou da matéria sobre cuidados financeiros?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Andy Dean Photography via shutterstock