Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Em recuperação judicial, Polishop já fechou mais de 100 lojas

Entenda a recuperação judicial Polishop e seus impactos. Análise da crise financeira, motivos e estratégias adotadas pela empresa

A recente notícia do pedido de recuperação judicial feito pela Polishop trouxe à tona diversas questões sobre a estabilidade financeira e as perspectivas futuras da rede varejista. Conhecida por seus infomerciais e presença marcante em shoppings por todo o Brasil, a empresa enfrenta desafios significativos em um cenário econômico adverso.

Em um movimento que pegou muitos de surpresa, a Polishop protocolou um pedido de recuperação judicial na 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do TJ-SP. Assim, a decisão ocorreu devido ao agravamento das dívidas e a redução acentuada no número de suas lojas físicas. 

Atualmente, o processo está sob análise, aguardando a homologação judicial para definir os próximos passos dessa varejista que já foi símbolo de inovação em vendas diretas.

Crise na Polishop

De acordo com declarações do fundador e presidente da Polishop, João Appolinário, a situação atual da empresa se deve a uma combinação de diversos fatores. 

Assim, o impacto da pandemia de COVID-19, o aumento significativo do IGP-M e uma crise de crédito gerada por problemas maiores no mercado, como o caso das Lojas Americanas, foram cruciais para a deterioração das finanças da empresa. 

Dessa forma, essa combinação de fatores trouxe um endividamento que saltou para números preocupantes, forçando a empresa a tomar medidas drásticas como o fechamento de mais de 100 lojas e cortes de despesas.

fachada da loja Polishop.
Imagem: felipequeiroz Shutterstock.com

Recuperação da varejista

Desde a confirmação dos problemas financeiros, a Polishop iniciou um processo interno de reestruturação. Isto incluiu negociações com credores para reestruturações de dívidas e uma análise profunda de suas operações comerciais. 

Veja também:

Governo Lula tem déficit parecido com o da pandemia; entenda

Além disso, a redução da presença física, corte de pessoal e revisão de contratos têm sido algumas das ações implementadas para tentar reverter o panorama desfavorável. Assim, nos últimos anos, a empresa reduziu de 280 unidades para 122 lojas físicas, e o número de funcionários passou de 3 mil para 1.500.

Imagem: felipequeiroz Shutterstock.com