Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Estados decidem que doação ao RS não vai precisar de nota fiscal no transporte

Dispensa de nota fiscal no transporte para doações ao Rio Grande do Sul agiliza ajuda em momentos de crise. Saiba mais!

Diante dos trágicos eventos causados pelas chuvas intensas no Rio Grande do Sul, adotou-se medidas significativas para agilizar o suporte às vítimas afetadas. Entre as principais ações, destaca-se a suspensão temporária da exigência de documentação fiscal para o transporte de mercadorias destinadas à doação.

Trata-se, portanto, de uma decisão que visa minimizar os entraves burocráticos e acelerar a ajuda humanitária. Continue a leitura para mais informações!

Por que a flexibilização fiscal para doação é essencial neste momento?

Mão colocando recorte em formato de coração em uma caixa de papelão, simbolizando doação para ONGs
Imagem: Sichon / shutterstock.com

Em resposta à circulação de notícias falsas que sugeriam a obstrução no transporte de doações por falta de nota fiscal, os estados, por meio do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), optaram por facilitar o processo logístico. Essa medida emergencial, válida até 30 de junho, estabeleceu-se para assegurar que alimentos, roupas e demais recursos essenciais cheguem rapidamente aos necessitados.

Além da suspensão do documento fiscal, o Confaz aprovou a isenção de ICMS na aquisição de máquinas e equipamentos necessários para restaurar as operações das empresas nos municípios impactados. Esta ação é considerada vital para a reativação econômica da região e para ajudar na reconstrução das infraestruturas locais afetadas pela catástrofe.

Como as mudanças fiscais beneficiam diretamente os afetados?

Estas facilitações não apenas permitem uma resposta mais ágil em termos de doações, como também oferecem um suporte concreto para a recuperação econômica.

Veja também:

Desenrola para MEIs e pequenas empresas: bancos começam a oferecer dia 13

Exemplos de como medidas fiscais podem se adaptar em momentos de necessidade urgente incluem a autorização para aplicar juros e multas por atrasos nos pagamentos de ICMS, estendendo os prazos até julho de 2024, juntamente com a manutenção de créditos de ICMS para mercadorias perdidas ou destruídas. Ademais, entre outras medidas, estão:

  • Isenção de ICMS para equipamentos de recuperação;
  • Suspensão da exigência de nota fiscal para doações até 30 de junho;
  • Extensão de prazos para obrigações fiscais e manutenção de créditos de ICMS.

Imagem: Sichon / shutterstock.com