6 estratégias minimalistas para economizar de verdade no cartão de crédito

0

Já tem algum tempo que o cartão de crédito se tornou um dos meios de pagamento preferidos do brasileiros. Entretanto, com sua popularidade crescente, ele também acabou se tornando um problema para muita gente, devido à dificuldade que algumas pessoas em ter um controle financeiro, aumentando sua fatura do cartão de crédito. Afinal, é mais simples passar o cartão de crédito para realizar uma compra, o que acaba fazendo com que você, muitas vezes, perca a noção de quanto dinheiro gastou.

É provável que você também goste:

Auxílio emergencial: Cidadão pode se inscrever nas agências dos Correios a partir desta terça (09)

Auxílio Emergencial: Como conferir a lista dos beneficiários e fazer denúncias de irregularidades

A perspectiva do Bitcoin pós Halving e com a crise mundial

Por isso mesmo, apesar da praticidade, é preciso tomar alguns cuidados na hora de usar esse meio de pagamento. Para ajudar você nisso, trouxemos 6 dicas consideradas minimalistas para controlar a fatura do cartão de crédito e auxiliar você a ter um controle financeiro ainda melhor. Continue lendo e confira!

6 dicas minimalistas para diminuir a fatura do cartão de crédito

Para começar, é preciso dizer que a principal dica, independentemente de tudo, é ter controle financeiro. Se isto não está acontecendo no momento, busque alternativas para melhorar nesse aspecto, como anotar seus gastos em um caderno, fazer um relatório de porcentagem de aumento ou diminuição do valor da fatura de mês a mês, corte de gastos não essenciais etc. Vamos, então, para as dicas para você diminuir, de vez, sua fatura de cartão de crédito.

1- Use o cartão de crédito para gastos maiores

Primeira dica: use seu cartão de crédito para parcelar compras maiores. Assim, quando o seu orçamento está curto, é possível dividir o valor e conseguir adquirir os produtos que você precisa no momento, como eletrônicos mais caros, passagens aéreas ou cursos, por exemplo. Nesse sentido, essa pode ser uma alternativa viável até mesmo se você tem dinheiro para pagar o produto à vista, uma vez que você pode investir esse dinheiro em um CDB com boa liquidez, enquanto parcela sua compra.

2- Aproveite os descontos e pague no débito

Em muitos casos, é possível ganhar descontos de até 10% em pagamentos à vista. Nesse caso, passar sua compra no débito pode ser a melhor opção. Assim você gasta menos e pode investir esse valor economizado, ou usá-lo para outras despesas mais essenciais. Além disso, se você entender que essa é uma compra por impulso ou supérflua, experimente pagar sempre no débito, pensando se existe mesmo a necessidade de gastar esse dinheiro agora.

3- Defina um limite de gastos

Essa dica é valiosa: nunca confunda seu limite de crédito com seus rendimentos. Esse é o primeiro passo para uma fatura de cartão de crédito acima do que você pode pagar. Assim, defina um limite menor que o do cartão e não comprometa mais do que 50% da sua renda mensal com a fatura. Isso vale principalmente se o limite oferecido for maior que seus rendimentos. Estabeleça seu próprio limite.

4- Acompanhe os gastos diariamente

Uma boa estratégia para não perder o controle de sua fatura do cartão de crédito é acompanhar suas despesas. Assim, ative os serviços de notificação pelo celular, que avisa sempre que uma compra for realizada, e confira todos os dias as suas despesas. Isso ajuda a ter uma noção maior do quanto você vem gastando, evitando surpresas desagradáveis no final do mês.

5- Evite ter mais do que um cartão

É muito fácil receber propostas de bancos oferecendo a você um cartão de crédito. Isso vale também para lojas de roupas, supermercados, livrarias etc. Entretanto, mesmo que você divida os gastos e tente usar um pouco de cada cartão, fica muito mais difícil controlar seus gastos dessa forma, o que leva a uma fatura de cartão de crédito maior do que deveria. Além disso, mais de um cartão pode significar mais de uma taxa de anuidade.

6- Por fim, NÃO parcele sua fatura

Se possível, nunca parcele sua fatura do cartão de crédito. Todas as dicas anteriores estão aqui para que você controle seus gastos e evite chegar nesse momento. Isso porque o parcelamento da fatura acarreta o pagamento de juros rotativos, que, em geral, são muito altos. Se por acaso você precisar realmente parcelar a fatura, considere outras alternativas, como crédito consignado ou empréstimos. Mas sempre compare as taxas cobradas e escolha a menor.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem destacada: Pintau Studio, via Shutterstock.

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar