Governo afirma que não tem como estender o Auxílio Emergencial

0

Em meio à pandemia do coronavírus, milhões de brasileiros contam com o auxílio emergencial de R$ 600 oferecido pelo governo para manter as contas em dia. Contudo, em uma live realizada hoje junto ao Banco Safra, o Secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, afirmou que se a pandemia continuar, não tem como estender o auxílio emergencial.

É provável que você também goste:

Auxílio emergencial em análise? Dataprev aprova mais 8,3 milhões de cadastros. Confira seu benefício

Caixa e Banco do Brasil liberam linhas de crédito emergenciais durante a crise

Caixa vai aumentar pausa estendida em financiamento da casa própria por 4 meses

Segundo o secretário, o programa é extremamente caro e não tem o desenho de uma medida estrutural. “Existe possibilidade de auxílio emergencial ser estendido? Não, não tem como”, pontuou na live. Ele ainda avalia que o governo terá tempo para adotar novas medidas que não custem tão caro aos cofres públicos se for necessário.

O que o governo havia informado anteriormente?

A informação do secretário vai contra o que havia sido pontuado pelo vice-presidente Hamilton Mourão no início de maio. “Caso necessário, vamos ver, poderá ser mantida essa medida de auxílio a pessoas que estão desempregadas por mais um tempo”, disse Mourão em videoconferência realizada pela Arko Advice. Além disso, a oposição do governo também atua para estender o Auxílio Emergencial por mais meses. Contudo, é necessário esperar por mais informações.

Quem pode receber o Auxílio Emergencial:

Para receber o Auxílio Emergencial, pago em três parcelas de R0 reais, é preciso preencher alguns requisitos. Confira quais são eles:

  • Ser um cidadão brasileiro acima dos 18 anos de idade;
  • Estar desempregado ou exercer atividade na condição de microempreendedores individuais (MEI), contribuinte individual da Previdência Social ou trabalhador Informal.
  • Pertencer à família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo (R$ 522,50), ou cuja renda familiar total seja de até 3 (três) salários mínimos (R$ 3.135,00).

Como retirar o auxílio emergencial de R$600?

As formas de recebimento das parcelas até agora definidas pelo governo para o benefício variam conforme o grupo no qual o beneficiário se enquadra.

  • Beneficiário do Bolsa Família: recebe por meio do cartão do Programa Bolsa Família, Cartão Cidadão ou por crédito em conta da Caixa de forma automática;
  • Quem estava no Cadastro Único até 20 de março, mas não recebe Bolsa Família: recebe em sua conta da Caixa ou Banco do Brasil, se tiver, ou na poupança digital da Caixa, aberta automaticamente quando é inscrito no auxílio;
  • aqueles que se inscreveram por meio do aplicativo da Caixa ou pelo site, recebem na conta de qualquer banco indicada na hora do cadastro, ou na poupança digital Caixa, se fizer essa opção na hora de realizar a inscrição.

Mais de 50 milhões de brasileiros já receberam a primeira parcela do Auxílio Emergencial. Pelo menos mais oito milhões de pessoas que ainda não conseguiram receber o pagamento devem ser incluídas nos próximos dias, segundo o governo federal. Desta forma, durante a pandemia do coronavírus, mais de 25% da população será beneficiada com o auxílio emergencial.

Além disso, a Caixa Econômica Federal prevê o pagamento da segunda parcela para o dia 18 de maio, próxima segunda-feira.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Brenda Rocha/Shutterstock

Comentários
Carregando...