Guedes revela que não desistiu de imposto sobre transações e comenta extensão do auxílio

O Imposto sugerido por Guedes taxaria todas as transações físicas e digitais.

0

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou ontem (16), que não desistiu e ainda tenta a implementação de um novo imposto sobre transações no mesmo molde da antiga CPMF. Segundo Guedes, o imposto serviria para bancar a ampla desoneração da folha das empresas.

É provável que você também goste:

Caixa libera hoje saque do FGTS para mais um grupo. Saiba quem recebe

Saque emergencial do FGTS: Agências da Caixa abrem no sábado, confira a lista completa

CashMe libera empréstimo para negativado no SPC/Serasa com até 12 meses para começar a pagar

Guedes revela que não desistiu de imposto sobre todas transações

Nova CPMF

O objetivo de Paulo Guedes com a criação desse novo imposto seria para minimizar as perdas de arrecadação do governo. A criação do imposto pretende taxar tanto as transações digitais como as físicas, o que impactaria toda a população brasileira.

No entanto, Rodrigo Maia já declarou que é contra a criação de um imposto sobre transações digitais e físicas. Segundo o presidente da Câmara dos Deputados, não é possível aumentar mais a carga tributária no Brasil. Além disso, ele afirmou que se o Governo Bolsonaro insistir na ideia, ele será derrotado.

Extensão do auxílio emergencial

Além dessa revelação, ele ainda negou, em um evento promovido pela XP Investimentos, que o governo vai estender o auxílio emergencial para 2021. Isso porque, segundo Guedes, haverá respeito à regra do teto de gastos após o período de calamidade pública.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitch e Instagram. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de créditoempréstimos etc.

Imagem: A.RICARDO/Shutterstock

Confira nossa última Live no canal do SCD

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais