Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

iFood é obrigado a pagar salário a entregador atingido por um tiro durante o trabalho

Confira mais sobre a decisão, que é inédita no Brasil

0

No Brasil, já virou regra que trabalhadores percam seus direitos para priorizar interesses do mercado privado. Especialmente depois da reforma trabalhista realizada em 2017, durante o governo de Michel Temer. Exemplo prático disso é a chamada “uberização” do trabalho, ou seja, a falta de regulamentação e vinculação trabalhista de brasileiros que atuam em empresas como Uber, Rappi e iFood.

Sendo assim, na maioria das vezes, qualquer acidente de trabalho ou prejuízo sofrido pelo trabalhador não é de responsabilidade dessas empresas. Porém, uma decisão acaba de mostrar uma perspectiva diferente. O iFood deve pagar um salário a um entregador atingido por tiros durante o trabalho. Para saber mais, confira a seguir!

É provável que você também goste:

iFood: plataforma oferece seguro para restaurantes parceiros

Com o objetivo de não depender do iFood, Burger King lança delivery via WhatsApp

iFood deve pagar pagar salário a entregador atingido por um tiro durante o trabalho

Dessa forma, de acordo com informações divulgadas pelo portal Metro1, há cinco meses o motorista Yuri de Jesus Monteiro, 24 anos, lida com o trauma de ter sido atingido por um tiro durante o trabalho no iFood. Como consequência, ele perdeu o movimento de uma das mãos e, claro, sofreu uma redução drástica em sua renda mensal. Contudo, a empresa para a qual trabalhava, o aplicativo Ifood, negou ter obrigações trabalhistas com o entregador.

Acontece que a juíza do Trabalho, Viviane Christine Martins Ferreira, pensou diferente. Segundo ela, em decisão publicada nesta terça-feira (12), a empresa será sim obrigada a pagar o valor de um salário para Yuri, até que o trabalhador consiga o auxílio acidente ou recupere a capacidade de trabalhar.

É importante dizer que esta é uma decisão inédita no Brasil, que até então parecia corroborar com a ideia de que estas empresas não tem nenhuma responsabilidade com seus funcionários de aplicativo. Yuri trabalhava fazendo entregas pelo iFood quando uma bala perdida o atingiu, em novembro do ano passado. Desde lá, buscou em vão a possibilidade de qualquer assistência por parte da empresa.

A juíza determinou que a remuneração média mensal deve ser de R$ 853, o mesmo valor que o entregador conseguia arrecadar enquanto trabalhava com o aplicativo. Agora, o iFood tem cinco dias a partir da decisão para começar a pagar o salário mínimo.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitchInstagram. Assim, você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimosfintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Leonidas Santana / Shutterstock.com

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar

Fechar