Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Lucro do Banco do Brasil aumenta em 8,8% e chega a R$ 9,3 bilhões; saiba mais

Confira os detalhes sobre o crescimento do lucro do Banco do Brasil, que atingiu R$ 9,3 bilhões no primeiro trimestre do ano!

O Banco do Brasil (BB) divulgou seus resultados para o primeiro trimestre de 2024. Logo, apresentou-se um lucro líquido de R$ 9,3 bilhões. Este número representa um aumento de 8,8% em comparação ao mesmo período de 2023, embora tenha ocorrido uma pequena retração de 1,5% em relação ao último trimestre do ano anterior.

Dessa forma, saiba mais detalhes por trás desses números e entenda as dinâmicas que influenciaram o desempenho do banco. Continue a leitura para mais informações!

Banco do Brasil divulga lucro de R$ 9,3 milhões no primeiro trimestre de 2024

Fachada de uma unidade da agência do Banco do Brasil.
Imagem: rafapress / shutterstock.com

Esse resultado superou as expectativas dos analistas, que projetavam um lucro na casa dos R$ 9,129 bilhões, segundo a Bloomberg. A variação positiva anual no lucro demonstra a robustez operacional do Banco do Brasil, mesmo diante de um cenário econômico cheio de desafios.

Ademias, atribui-se a margem de crescimento do BB principalmente à expansão contínua da sua carteira de crédito. Houve um aumento significativo de 10,2% em relação ao ano anterior, alcançando um total de R$ 1,138 trilhão.

Em detalhes, os segmentos de crédito consignado e salário para pessoas físicas mostraram um aumento considerável, com crescimentos de 3,5% e 4,5%, respectivamente, no trimestre. Esses produtos financeiros são cruciais pois representam uma fonte de receita estável para o banco, além de atenderem a uma grande parcela da população brasileira.

Como o banco está lidando com a inadimplência?

Apesar dos bons números, o BB enfrenta desafios com o aumento da inadimplência, que cresceu para 2,90% em março de 2024, contra 2,62% no mesmo mês do ano anterior. Como resposta, houve um aumento de 46% na provisão para créditos duvidosos alcançando R$ 8,5 bilhões, um movimento prudente que reflete a estratégia de mitigação de riscos do banco.

Ainda, o Banco do Brasil anunciou a distribuição de dividendos e Juros sobre Capital Próprio (JCP), com um pagamento previsto para junho de 2024. A prática reitera o compromisso do banco em retribuir seus investidores, fortalecendo a relação com seus acionistas e contribuindo para a sustentabilidade da política de dividendos a longo prazo.

Veja também:

Câmara aprova nova lei sobre transporte de pets após o trágico incidente com Joca

Além disso, a performance do BB reflete um ROE (Retorno sobre o Patrimônio Líquido) de 21,7%. Trata-se de um indicador de que o banco não apenas se mantém sólido, mas também eficiente na geração de valor para seus acionistas mesmo em períodos de mercado volátil.

Imagem: rafapress / shutterstock.com