Metade dos jovens já têm cartão de crédito e bancos tomam iniciativas para beneficiar esse público

0

Quando falamos sobre score de crédito, é normal que pessoas mais jovens tenham score mais baixo e menos acesso a financiamentos, empréstimos e cartões. Porém, 59% da Geração Z, que tem entre 18 e 24 anos, já usa o próprio cartão de crédito, pelo menos nos Estados Unidos.

É provável que você também goste:

Clientes da XP Investimentos, Rico e Clear ganharão visita grátis à Nasdaq

Nova carteira estudantil gratuita digital, criada por Bolsonaro, deve acabar em breve

Concorrente do Nubank aprova cartão de crédito com score baixo e até negativado

Geração Z supera Millennials no uso de cartão de crédito

Os cartões de crédito são a porta de entrada para os serviços dos bancos, como empréstimos e financiamento, ainda que os jovens muitas vezes prefiram as fintechs. Essas, em sua maioria, oferecem apenas cartões como opções de crédito para seus clientes.

A pesquisa, feita pela TransUnion, comparou o comportamento dos millennials quando tinham de 18 a 24, com a Geração Z hoje em dia, para evitar que a diferença de idade afetasse os resultados.

Um dos resultados é que o primeiro, quando era mais jovem, preferia o crédito na forma de financiamento estudantil em vez do cartão. Já a Geração Z prefere o oposto, utilizando mais os cartões de crédito do que seus antecessores. O cartão levou 41% dos votos, enquanto o financiamento ficou com 37%.

Nos Estados Unidos, os jovens de 18 a 24 têm scores mais altos, considerados prime no país norte-americano. A pesquisa revelou que metade deles está nesse grupo das altas pontuações. Já os millennials, quando tinham essa idade, não tinham tanto score: apenas 39% era considerado prime.

A pesquisa ainda entrevistou jovens de outros países. Na Índia, por exemplo, apenas 6% da Geração Z têm cartão de crédito, por isso o país ficou em último lugar no ranking. Em segundo lugar, logo abaixo dos EUA (que tem 66%), ficou o Canadá, com 63%.

E no Brasil, como é a situação dos jovens?

Nos Estados Unidos, o uso do cartão de crédito pode ser um problema, com jovens se afundando em dívidas. Aqui no Brasil, o que falta é a educação financeira.

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), resolveram pesquisar o assunto. Eles descobriram que 47% dos jovens da Geração Z no Brasil não fazem o controle das finanças pessoais. O maior motivo sem dúvida é a falta de conhecimento sobre o assunto: 19% dizem não saber fazer esse controle.

A Geração Z ainda tem um grande número de jovens com uma renda, 78%. Porém, eles ainda vivem muito na informalidade, pois nem metade deles têm emprego de carteira assinada.

Os jovens de periferia são os que mais pedem empréstimo no Brasil. Segundo uma pesquisa do Serasa Experian de 2015, eles representam 17,5% do total. Destes, a maioria tem entre 21 e 35 anos, baixa escolaridade e são solteiros.

Esses jovens, que estão ingressando no mercado de trabalho, são otimistas por conseguirem adquirir coisas que sua família antes não conseguia, pensamento que se reflete na tomada de crédito. No entanto, às vezes, o otimismo não se reflete em bons resultados. Naquele ano, os jovens adultos de periferia representaram 23% dos inadimplentes no Brasil.

Educação financeira é importante para a Geração Z

No país, surgem algumas iniciativas que visam à educação financeira dos brasileiros e acabam impactando os jovens. Exemplo disso são os canais de Youtube que falam de dinheiro e investimentos, a exemplo do Me Poupe, de Nathalia Arcuri, e O Primo Rico, de Thiago Nigro. Recentemente, no canal no YouTube do Seu Crédito Digital, gravamos um vídeo com a participação da educadora financeira Márcia Kleeman.

No Instagram, também existe muito conteúdo sobre finanças que fala a linguagem dos jovens. O perfil @boletinhos dá dicas para evitar as dívidas e melhorar a relação com o dinheiro, assim como o @papodegrana, que também fala sobre organização financeira para todas as idades e rendas.

Os atrativos do cartão de crédito para os jovens

Hoje em dia as fintechs, muitas vezes fundadas por jovens, conquistam os millennials e a Geração Z. Elas oferecem aplicativos fáceis de usar, atendimento descontraído e rápido, cartões coloridos, dinheiro de volta em algumas compras (o chamado cashback), além de dominarem o uso das redes sociais.

De acordo com um estudo feito pelo Goldman Sachs e publicado no Business Insider, 50% dos jovens da geração Y acreditam que as startups de tecnologia vão reinventar o mercado financeiros. Conforme o estudo, 33% deles acreditam que em cinco anos não precisarão mais dos bancos tradicionais.

O Nubank, por exemplo, adota diversas estratégias para conquistar o coração dos jovens e ser a fintech favorita. Recentemente, pagou uma viagem e deu um notebook para um jovem que passou em um concurso da NASA e, por isso, pediu alteração de limite no cartão. O C6 Bank, por exemplo, quer conquistar pelo design: oferece opções de cartões prata, cinza, rosa, azul e vermelho.

Os cartões de crédito não precisam ser os vilões da vida financeira dos jovens, desde que sejam usados com sabedoria, consciência dos custos e com a obtenção de todas as vantagens, como cashback, pontos e milhas.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem:

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar