Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

‘Mosca maldita’ causa prejuízo de R$ 400 milhões e coloca 4 estados em situação de emergência

Rapidez e escalda de infestação da ‘mosca maldita’ é o que a torna uma praga tão perigosa. Confira mais informações!

Um alerta no setor agropecuário foi soado. O Ministério da Agricultura do Brasil anunciou um estado de emergência fitossanitária devido à presença da Bactrocera carambolae, mais conhecida como mosca-da-carambola ou “mosca maldita”, em quatro estados. Essa praga pode causar prejuízo milionário de quase R$ 400 milhões em redução nas exportações de frutas.

A “mosca maldita” teve sua presença confirmada nos estados do Amapá, Amazonas, Pará e Roraima. Para o Brasil, que é terceiro maior produtor de frutas do mundo, a invasão da praga pode gerar perdas não só na colheita, mas também aumento nos custos de produção. Em relação à saúde humana, não há perigos.

Rapidez e escalda de infestação da ‘mosca maldita’ é o que a torna uma praga tão perigosa

A mosca-da-carambola, além de afetar o cultivo da carambola, impacta diretamente a produção de outras frutas de grande relevância para o mercado brasileiro. Entre elas a manga, a laranja e a goiaba. De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a praga tem potencial para acometer até 21 espécies vegetais no país.

A “mosca maldita” é uma espécie que, uma vez instalada na fruta, faz dela um hospedeiro para suas larvas, que irão alimentar-se da polpa do fruto. Esse processo acaba por gerar a queda precoce, geralmente em estado de apodrecimento. A rapidez e a escala dessa infestação é o que a torna uma praga tão perigosa. Um exemplar fêmea pode gerar de 1.200 a 1.500 ovos ao longo de sua vida.

Mosca-da-carambola
Imagem: Reprodução / Embrapa

Combate à praga

A resposta imediata do Brasil ao avanço da mosca-da-carambola foi a instalação de mais de 9.500 armadilhas em todo o país para capturar e monitorar o progresso da praga. Ademais, a Embrapa Amapá avançou no desenvolvimento de um inseticida microbiológico que é capaz de exterminar a mosca sem deixar resíduos. 

Veja também:

Itaú lança plataforma para desmentir notícias falsas; saiba mais

A praga, originária da Ásia, foi identificada no país em 1996, na cidade de Oiapoque (AP). Ela ganhou o nome de mosca-da-carambola porque sua fruta predileta na região da Indonésia é justamente a carambola.

Imagem: Reprodução / Ministério da Agricultura e Pecuária