Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Trabalhadores que tentam novo pedido do auxílio emergencial mas estão com dificuldades em mudar os dados

0

Muitos trabalhadores estão com dificuldades ao tentar fazer um novo pedido do auxílio emergencial de R$ 600. Eles não conseguem editar informações dos membros da sua família, como incluir parentes ou mudar os dados sobre seus documentos.

É provável que você também goste:

Caixa Tem: resolvido problema de dados inconclusivos com erro do CPF que começava com zero

Saiba como vai funcionar o saque do auxílio emergencial nas lotéricas e caixas eletrônicos

Bolsa Família: quem tem o direito ao auxílio merenda de até R$ 165.

Trabalhadores que tentam fazer novo pedido do auxílio emergencial estão com dificuldades de mudar dados

Embora esse problema não seja para todo mundo, acontece com muitas pessoas. Portanto, quem teve o auxílio negado ou recebeu a mensagem de dados inconclusivos até consegue fazer o novo pedido. Mas várias pessoas não conseguem mudar a quantidade de membros da família e nem alterar os CPFs que já haviam sido informados no primeiro pedido.

Segundo o UOL, a reportagem tentou fazer um novo cadastro, mas também teve o mesmo problema. Ou seja, foi possível apenas informar o grau de parentesco do membro da família, sem poder incluir novos membros e nem alterar os dados do que tinham sido informados no primeiro pedido.

Regras atuais

É bom ressaltar as regras para ter direito ao auxílio emergencial:

  • seja maior de 18 anos de idade;
  • não tenha emprego formal ativo;
  • não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial ou beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o Bolsa Família;
  • cuja renda familiar mensal por pessoa seja de até meio salário mínimo (ou seja, R$ 522,50) ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos (ou seja, até R$ 3135,00);
  • por fim, que, em 2018, não tenha recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

Além disso, a lei cita os seguintes beneficiários:

  • microempreendedor individual (MEI);
  • contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social;
  • trabalhador informal, seja empregado, autônomo ou desempregado, de qualquer natureza, inclusive o intermitente inativo, inscrito ou não no Cadastro Único, cuja renda familiar mensal por pessoa seja de até meio salário mínimo ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: Antonio Salaverry/Shutterstock.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...