Desde o último sábado (13) passou a valer o novo limite para o pagamento de boletos, inclusive vencidos, em qualquer banco. Portanto, agora você já pode pagar boletos de R$ 100 ou mais em qualquer banco, através da nova plataforma de cobrança da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Leia também:

Boleto Flash permite reconhecer pagamento de boleto em até duas horas.

Serasa tem vaga de emprego que paga R$ 100 mil para viajar o Brasil

Você já pode pagar boletos de R$ 100 ou mais em qualquer banco

A mudança tem sido realizada de forma gradual. Desde o dia 25 de agosto foi liberado o pagamento de boletos a partir de R$ 400. Contudo, os clientes com boletos sem registro na plataforma e que forem rejeitados, deverão procurar o banco emissor do boleto.

Confira logo abaixo o cronograma da nova plataforma de boletos:

  • A partir de 13/10/2018: você pode pagar boletos iguais ou acima de R$ 100.
  • A partir de 27/10/2018: você poderá pagar boletos de R$ 0,01 ou mais.
  • A partir de 10/11/2018: você poderá pagar boletos de cartões de crédito, de doações, entre outros.

De acordo com a Febraban, a nova plataforma permite a identificação do CPF do pagador, e isso facilita o rastreamento das cobranças. Caso os dados do boleto coincidirem com o sistema, a operação é validada.

Entretanto, se houver divergência, o pagamento do boleto não será autorizado e o consumidor poderá pagar exclusivamente no banco que emitiu a cobrança. Neste caso, ele tem condições de fazer as checagens necessárias.

Por fim, todos os boletos devem ter o nome e o CPF do pagador, conforme já determinado pelo Banco Central. Além disso, a data de vencimento e o valor do pagamento e autorização do cliente para que enviem a cobrança à sua residência. Ou seja, o boleto é mais completo, apresentando mais detalhes como juros, multa, desconto, entre outras.

O fato é que finalmente tivemos uma modernização nessa forma de pagamentos. Ela era completamente obsoleta e continuava da mesma forma desde 7 de outubro de 1993. A nova plataforma cruza informações para evitar eventuais inconsistências, e identifica o CPF para um controle mais eficaz da lavagem de dinheiro, e tem uma melhor transparência com o consumidor.

Gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Acompanhe nossos artigos e notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Via Febraban