Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Quando a taxação das blusinhas começa a valer? Entenda

Confira quando a taxação de blusinhas entra em no Brasil. Descubra como isso afeta seu orçamento e planeje-se agora!

O governo brasileiro, liderado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aprovou recentemente uma medida que prevê a aplicação de uma taxa de importação nas compras internacionais de até US$ 50. Essa decisão, que entra em vigor a partir de 1º de agosto de 2024, tem gerado vasta discussão entre consumidores e entidades comerciais.

A nova regulamentação, que aplica uma taxa de 20% sobre o valor dos produtos, atinge diretamente a popular prática de adquirir itens de menor custo de países como China e Estados Unidos. Segundo o governo, o objetivo da medida é incentivar o consumo de produtos nacionais e incrementar a arrecadação federal.

Por que a taxação para compras de até US$ 50 foi considerada necessária?

Em cima de um teclado, miniatura de carrinho de compras com pequenas caixas de papelão taxação compras internacionais
Imagem: William Potter / shutterstock.com

O governo projetou essa nova política fiscal para contrabalançar um fenômeno crescente: aquisição massiva de produtos estrangeiros de baixo valor, que, segundo o governo, prejudica a indústria nacional. A decisão surge como um estímulo para que consumidores e empresas priorizem artigos fabricados no Brasil, dando um impulso à economia interna.

Apelidada de “taxa das blusinhas” devido ao seu impacto sobre itens de vestuário baratos, frequentemente importados por brasileiros. A medida vem sendo objeto de ampla crítica por parte dos consumidores. A principal reclamação é que a taxação pode resultar em aumentos significativos nos preços de produtos que muitos consideram essenciais.

Veja também:
Alerta do INSS para golpe que cobra R$ 400 para liberação de BPC

Como a taxação de 20% afetará os consumidores?

  • Impacto nos preços: qualquer compra internacional de até US$ 50 sofrerá um aumento de 20% em seu valor devido à nova regulamentação.
  • ICMS variável: além da taxa federal, os produtos ainda continuam sujeitos ao ICMS, que varia de estado para estado, potencializando o encarecimento.
  • Estímulo ao mercado local: o governo espera que com o aumento do custo dos produtos importados, haja uma maior procura por produtos nacionais. Ajudando a aquecer a economia interna.

Enquanto algumas associações de comércio vêem a medida como um passo positivo para a proteção da indústria nacional. Muitos consumidores expressam preocupação com a perda de acessibilidade a bens internacionais a preços competitivos. Segue-se agora um período de adaptação, onde as consequências econômicas dessa decisão se tornarão mais claras.

Imagem: William Potter / shutterstock.com