Em tempo de movimentação nos mercados, muitas pessoas aproveitam para comprar ações vendidas a preços baixos, enquanto outras vendem suas posições por temerem quedas maiores. É nesse período também que aumentam as recompras de ações. Você sabe o que é recompra de ações? Recompra de ações é quando a empresa atua sobre o mercado comprando suas próprias ações. Isso ocorre principalmente quando o preço delas está baixo, menor do que a empresa considera factível.

É provável que você também goste:

Empréstimo entre pessoas por app traz soluções durante a crise do coronavírus

Como proteger seu score de crédito durante a pandemia de coronavírus?

Conheça as ações que mais caíram no primeiro trimestre de 2020

No primeiro trimestre de 2020, 26 empresas da bolsa de valores, a B3, anunciaram recompras. No mesmo período do ano passado, esse número foi de 9 empresas. Esse crescimento marca o período que vivem os mercados mundiais, com a bolsa brasileira em meio a uma queda de quase 40%.

Movimentos de recompra são comuns em momentos de queda. Períodos marcados por essa estratégia foram, por exemplo, a crise de 2008 nos Estados Unidos, a recessão de 2015 e as quedas que sucederam a divulgação das conversas de Joesley Batista, dono da JBS, com o então presidente da república Michel Temer.

O que isso muda para o investidor?

Quando uma empresa anuncia a recompra de ações, isso significa que o preço delas está baixo e a própria instituição acredita que elas irão se valorizar. Isso pode ser um sinal de que é a hora de ficar de olho nessas empresas.

Aproveitar as ações de boas empresas, quando elas estão em baixa, pode trazer um bom lucro lá na frente, quando os preços voltarem a estabilizar e você conseguir vender por um valor mais alto. Sem dúvida, o mais importante é ficar de olho nesses movimentos e comprar de empresas que tenham um bom histórico na bolsa de valores.

Mas vale dizer que nem sempre isso significa que a empresa tem o potencial de valorizar num futuro próximo. Há casos em que as instituições compram os papéis que estão no mercado para fazer stock option, que é quando uma empresa remunera seus colaboradores com ações.

Também há casos em que a instituição anuncia recompra, mas os preços das ações não tiveram queda significativa. Isso quer dizer que, embora o preço esteja bom hoje, a gestão acredita que estará maior no futuro.

Quando a empresa faz isso, portanto, ela está comprometida com a valorização do seu negócio, assim como a valorização do patrimônio de seus acionistas. Se você é investidor de uma empresa e ocorre a recompra, pode ser que suas perdas sejam minimizadas. Quando as ações são retiradas do mercado, isso aumenta a participação de cada acionista. 

Empresas que fizeram recompra de ações em 2020

Vale ficar de olho nas instituições que têm feito recompras neste último trimestre. Confira as principais:

  • CSU Cardsystem (tecnologia) – recompra de 16,47% das ações em circulação;
  • Anima (educação) – recompra de 10% das ações em circulação;
  • Arezzo (calçados) – recompra de 10% das ações em circulação;
  • Banco Inter  – recompra de 10% das ações em circulação;
  • Banco BMG  – recompra de 10% das ações em circulação;
  • Cyrela (construtora) – recompra de 6,89% das ações em circulação;
  • Trisul (construtora) – recompra de 6,30% das ações em circulação.

Além dessas empresas, estão na lista BRF, CEEE, Cielo, Cosan, Hering, JBS, Log, Linx, M. Dias Branco, MRV, PGB, Porto Seguro, Renner, entre outras. A Arezzo, por exemplo, anunciou sua recompra no dia 31 de março e, no mesmo dia, teve uma valorização de 1,2% no preços de suas ações. Esse é um exemplo de que esses movimentos sem dúvida são um bom sinal para todos os investidores.

Aproveitando oportunidades do mercado

No momento atual, muitas ações da bolsa de valores estão em queda. Isso significa que está barato se tornar acionista de muitas delas, o que pode render lucro nos próximos meses ou anos.

No entanto, se você está pensando em aproveitar esses valores baixos, fique atento para o histórico da empresa. Veja se é um tipo de negócio que pode se recuperar no curto prazo e opte por investir em nichos que você já conhece, seja por consumir da empresa ou trabalhar no ramo.

Se você já tem ações, é normal que esteja preocupado com as quedas nos valores dos papéis. Esse, porém, não é o momento de vender, pois você pode sair no prejuízo. Só venda se você realmente precisar do dinheiro e não tiver uma reserva de emergência em outro lugar.

Vale lembrar que investir na bolsa de valores envolve riscos. Ou seja, não aporte em ações o dinheiro da sua reserva de emergência ou um valor que irá precisar para pagar uma dívida. Coloque apenas o dinheiro que você não precisará no curto prazo e, para ter uma reserva disponível em caso de necessidade, escolha investimentos mais conservadores, como o Tesouro Direto.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Snapwire / Pexels