Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Santander reduz taxa de juros do crédito imobiliário a 7,99% por tempo limitado

0

Santander reduz taxa de juros do crédito imobiliário: o Banco Santander anunciou na última segunda-feira (01) a redução da taxa de juros do crédito imobiliário para 7,99% ao mês. Anteriormente, a taxa praticada pela instituição era de 8,99%.

É provável que você também goste:

Mercado Livre oferece empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa.

Como funciona o empréstimo Home Equity do Banco Inter?

Nubank ficou mais fácil com a aprovação automática dos clientes?

Santander reduz taxa de juros do crédito imobiliário a 7,99% por tempo limitado

A campanha vai vigorar até o dia 31 de agosto. Entretanto, a manutenção da taxa de juros no patamar mais baixo após o período dependerá das condições da economia e da efetiva queda da taxa Selic. É o que afirmou José Roberto Machado, diretor-executivo de Pessoa Física do Santander.

A taxa Selic está atualmente em 6,50% ao ano. Contudo, o mercado espera que a ela termine o ano a 5,75%. O Banco Central têm condicionado, a queda de juros à aprovação de reformas.

De acordo com cálculo do banco, em um financiamento de R$ 200 mil, o custo com juros cairia R$ 32 mil, caso o crédito seja feito no prazo máximo de 35 anos. Ou seja, no primeiro ano, a parcela cairia em R$ 1.800.

O custo efetivo total, incluindo impostos e seguro, ficaria em 8,94%, é o que afirma o banco.

Por fim, toda a estratégia está dentro de uma campanha de marketing, em parceria com a Magazine Luiza. Portanto, quem comprar o imóvel neste período ganhará uma geladeira. A peça publicitária será apresentada por Luiza Trajano, presidente do conselho da varejista, que nunca participou de uma campanha publicitária, diz Igor Puga, diretor de Marca e Marketing.

O Santander afirma ter influenciado o movimento de queda de taxa de juros do crédito imobiliário no passado, que depois foi seguida por outros bancos. A Caixa, que domina o mercado, baixou recentemente a taxa a 8,5%.

“Não sei se estamos reagindo, estamos aproveitando que o mercado está trabalhando em um cenário de mais demanda para o produto”, afirmou Machado.

Ainda, segundo o banco, o cenário é um pouco mais estável e a iniciativa tenta atender a uma demanda incipiente, mas que dá sinais de retomada.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Via Folha Online

Comentários do Facebook

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.