Lá pelo dia 28 de maio de 2019, a Caixa Econômica Federal abriu a possibilidade de participar do Feirão de Negociações de Dívidas, conhecido como “Você no Azul” e com descontos que podem variar de 40% a 90%. Alguns leitores entraram em contato conosco e questionaram sobre a possibilidade de; criar uma restrição interna com o banco. Afinal, isso acontece, ou é possível limpar o nome de verdade?

É provável que você também goste:

Como consultar o 1° lote de restituições do IR 2019.

É verdade que o Nubank não faz consulta ao SPC/Serasa?

Será que o Feirão de Negociações de Dívidas da Caixa limpa o nome mesmo?

Primeiramente, saiba que se a negociação do Feirão de Negociações de Dívidas seja realizada diretamente com a Caixa Econômica Federal, vale a pena. Se forem utilizadas assessorias de cobrança para isso, com um grande desconto como o que está sendo oferecido, desconfie. Fatalmente o banco terá o seu prejuízo computado no SCR do Banco Central.

Portanto, antes de mais nada eu sugiro que você faça uma consulta ao seu CPF no sistema REGISTRATO do Banco Central, antes de participar do Feirão de Negociações de Dívidas. Caso tenha dúvidas de como acessá-lo, confira este artigo que publicamos aqui no site.

Caso você identifique no seu histórico um eventual prejuízo lançado pela Caixa Econômica Federal, você terá que negociar diretamente com o banco, para se certificar que seu nome será removido desta pendência.

Este prejuízo, além de prejudicar no caso de eventual solicitação de crédito na Caixa Econômica Federal, inclusive em financiamento habitacional, poderá também impactar negativamente no seu score de crédito. Por isso, é fundamental que seu nome seja removido do SCR.

Posicionamento oficial do banco

Entramos em contato com a assessoria de imprensa da Caixa Econômica Federal e estamos aguardando pelo seu posicionamento oficial quanto a questão da restrição interna. Assim que o tivermos, estaremos atualizando esta matéria.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.