Com a chegada do Covid-19 e as medidas de confinamento social, até a Serasa Consumidor adotou algumas ações para evitar o contágio, e poder atender aos clientes que desejam limpar o nome na Serasa Limpa Nome. Saiba como negociar as suas dívidas no Serasa Limpa Nome pelo WhatsApp.

É provável que você também goste:

Bancos podem usar o auxílio emergencial de R$ 600 para descontar suas DÍVIDAS?

Coronavoucher: Como se cadastrar para receber o auxílio emergencial de R$ 600?

OFICIAL: Caixa libera site e aplicativo do Auxílio Emergencial. Veja como se inscrever

Serasa Limpa Nome pelo WhatsApp

Para evitar aglomerações durante a pandemia, os pontos de atendimento presenciais do Feirão Serasa Limpa Nome (Arena Corinthians e Largo da Batata) foram cancelados.

Dessa forma, seguindo as recomendações do Governo e da Organização Mundial de Saúde (OMS) para evitar a propagação da COVID-19 e preservar a saúde tanto dos consumidores quanto dos colaboradores, nas próximas semanas a Serasa também não oferecerá atendimento ao público nas agências espalhadas pelo Brasil.

A novidade é que você pode aproveitar as mesmas ofertas pelo celular, aplicativo Serasa Consumidor ou pelo WhatsApp oficial (11) 98870-7025.

Como funciona?

Primeiramente, você precisa salvar os números da Serasa. Feito isso, envie uma mensagem para qualquer um destes números: (11) 3003-6300 ou (11) 98870-7025. Ao enviar uma mensagem, você conseguirá verificar se possui ofertas de negociações disponíveis para o seu CPF no Limpa Nome e decidir pela oferta ou não.

Além disso, vale reforçar que a Serasa não envia cobranças e nem ofertas de crédito através do WhatsApp, Instagram ou Facebook. Entretanto, caso você procure a Serasa no número (11) 98870-7025, conseguirá realizar negociações que estejam disponíveis no site do Limpa Nome diretamente por lá.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Alex Ruhl via shutterstock