Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

A taxa de empréstimo pessoal está mais cara no Itaú, aponta Procon

Procon constatou que os juros no Itaú subiram de 5,97% em abril para 6,91% em maio.

0

De acordo com informações do Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola de Proteção e Defesa do Consumidor do Procon-SP, a taxa de empréstimo pessoal do Itaú está mais cara. Conforme o estudo do órgão, a taxa de juros aumentou 0,16 pontos percentuais em maio, na comparação com abril, subindo para 6,26% ao mês. 

É provável que você goste também:

Procon quer saber motivo pelo qual Serasa está pedindo senha de banco durante pesquisa

WhatsApp Pagamentos: Itaú quer se tornar líder em transações

Procon: C6 Bank leva multa de R$ 7 milhões por empréstimos não solicitados

A taxa de empréstimo pessoal está mais cara no Itaú, aponta Procon

No estudo sobre a taxa de empréstimo pessoal, o Procon constatou que o juro subiu de 5,97% em abril, para 6,91% em maio, no Itaú. A pesquisa foi realizada no dia 05 deste mesmo mês, com os seguintes bancos: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Safra e Santander.

A partir do levantamento, constatou-se que o Itaú é o único que apresentou esse aumento na taxa de empréstimo pessoal. Por outro lado, o banco afirma que esse estudo baseia-se em uma modalidade específica de crédito pessoal.

Dessa forma, o valor apontado não corresponde à realidade da grande maioria dos clientes do banco. De acordo com o Itaú, eles encontram taxas mais baixas, conforme o seu perfil de crédito, relacionamento com a empresa, valor e período do financiamento. 

Na sua última reunião, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central alterou a taxa Selic de 2,75% para 3,50% ao ano. Porém, como a pesquisa foi realizada antes do aumento, os dados coletados ainda não refletem essa alteração na Selic.

Taxa de juros do cheque especial

No que diz respeito à taxa de juros média do cheque especial, ela se manteve em 7,96% ao mês. Esse número reflete o limite imposto pelo Banco Central, de que a taxa não pode passar de 8% para pessoa física.

Entretanto, apesar do congelamento da taxa, o Procon-SP afirma que o consumidor não deve usar essa modalidade de crédito. Os juros altos são a justificativa do órgão. Caso precise de crédito, o Procon recomenda que o consumidor procure avaliar as taxas e condições disponíveis nas instituições financeiras.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Assim, é só seguir o Seu Crédito Digital no YouTubeFacebookTwitterInstagram Twitch. Contudo, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc. Siga a gente para saber mais!

imagem: Marko Aliaksandr / shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...