Nesta segunda-feira, dia 17 de dezembro de 2018, a Receita Federal paga o último lote da restituição do imposto de renda. Mais de R$ 319 milhões serão pagos a um total de 151.248 contribuintes. Somente quem estiver na malha fina não vai receber. Portanto, confira se você tem direito e como fazer para sacar o dinheiro.

Leia também:

Procon investiga Magazine Luiza, Marisa e Extra por cobranças indevidas em cartões de crédito.

6 motivos que fazem o Nubank ser uma ameaça aos bancos tradicionais.

Quais bens não podem ser penhorados para pagamento de dívidas?

Último lote da restituição do Imposto de renda é pago hoje (17/12)

O último lote da restituição do imposto de renda contempla também as restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017. As consultas haviam sido liberadas no último dia 10, e quem não estiver neste lote, provavelmente deve estar na malha fina da Receita Federal.

O crédito bancário é destinado a 151.248 contribuintes, totalizando mais de R$ 319 milhões. Deste montante, R$ 127.393.752,50 contemplam aqueles que têm prioridade no recebimento da restituição do imposto de renda. Ou seja, idosos acima de 80 anos, 19.081 contribuintes com idades entre 60 e 79 anos, 3.157 com alguma deficiência física ou mental, ou ainda doença grave, e ainda 9.297 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

A restituição ficará disponível no banco durante o período de um ano. Depois disso, será necessário requerer através da internet. Utilize o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou através do e-CAC, no serviço Extrato de Processamento da DIRF.

Entretanto, caso o último lote da restituição do imposto de renda não seja creditado, o contribuinte deve ir pessoalmente a qualquer agência do Banco do Brasil ou ainda ligar para a Central de Atendimento através do telefone 4004-0001 (para capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (para deficientes auditivos), para que possa agendar o crédito em conta corrente ou poupança.

Malha fina

Recentemente, a Receita Federal informou que 628 mil declarações ainda estavam retidas na malha fina até o dia 10/12, em virtude de inconsistências nas informações. Isso pode ser facilmente resolvido acessando o Extrato de Processamento da DIRF na página da Receita Federal.

Ao acessar o extrato, você deve prestar atenção na seção “Pendências de Malha”. Lá você consegue constatar se a declaração está retida em malha fiscal, ou ainda se existe alguma outra pendência que precise ser regularizada. Por exemplo, se constatar que há erros na declaração apresentada, basta regularizar a situação apresentando uma declaração retificadora.

Contudo, se inexistirem erros na declaração apresentada, e o contribuinte tendo posse de todos os documentos comprobatórios, como notas fiscais, pode aguardar pela intimação da Receita Federal. Todavia, outra hipótese é agendar uma data para apresentação dos documentos diretamente na Receita Federal. O serviço começa a partir de janeiro de 2019.

Gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Acompanhe nossas notícias e artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos e empréstimos. Por fim, bem como tudo relacionado ao mundo das fintechs.