Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Veja as vantagens e desafios do PIX na gestão financeira do pequeno e médio lojista

0

Dinheiro, cheque, cartão de crédito, débito, aplicativos no celular e, agora, transações instantâneas por chaves digitais. Essa é a realidade que os varejistas brasileiros precisam encarar desde 16 de novembro de 2020. Afinal, essa data marca a entrada oficial do PIX, sistema de pagamento digital criado pelo Banco Central do Brasil. Com a promessa de agilizar a transferência financeira, ele surge como alternativa interessante aos usuários, mas também como motivo de preocupação para os empresários. Isso porque ainda há muitas dúvidas sobre vantagens e desafios que o Pix pode trazer para o caixa dos pequenos e médios lojistas.

É provável que você também goste:

Simples de empregados domésticos já pode ser pago com o PIX

Tudo sobre o cartão de crédito Unicred Visa Infinite

Contas de celular poderão ser pagas com Pix

Melhores cartões de crédito para acumular milhas e viajar

Pesquisa mostra que empreendedores se sentem despreparados para usar o Pix

As diversas pesquisas sobre o tema mostram esse paradoxo que o PIX ainda representa no país. Enquanto um levantamento conduzido pelo Banco BS2 com o painel OpinionBox mostra que 73% dos brasileiros bancarizados pretendem usar este sistema em seu dia a dia, um estudo conduzido pela Stone, empresa de pagamentos, mostra que 77% dos empreendedores não se sentem preparados para adotar este recurso. Ou seja, a expectativa de uso dos usuários cresce na mesma proporção das dúvidas que os lojistas têm sobre a viabilidade dessa operação em seus negócios.

É preciso entender que se trata dos dois lados da mesma moeda. O PIX pede boa gestão financeira – afinal, a facilidade transacional que proporciona pode fazer com que muitos caiam na tentação de não dedicar tempo ao necessário controle. Ele pode trazer uma série de benefícios aos PMEs, como segurança com menos dinheiro “vivo” em trânsito, praticidade e disponibilidade dos recursos. O fluxo de caixa também tende a melhorar porque a transferência é imediata, inclusive em fins de semana; enquanto os meios atuais e tradicionais de pagamento (exceto cédulas) têm data do recebimento postergada para o próximo dia útil.

Assim, o negócio que souber explorar as funcionalidades do PIX terá vantagens operacionais na gestão do negócio com a disponibilidade mais rápida dos recursos e, eventualmente, vai superar os desafios da redução de custos com empréstimos e crédito para o fluxo de caixa. Do ponto de vista comercial, há ganho na logística com a confirmação mais rápida do pagamento e a liberação rápida do pedido no caso de compras virtuais – ainda que não deva reduzir significativamente o prazo de entrega. No conjunto da obra, o PIX desencadeia uma série de vantagens que traz mais recursos e proporciona maior economia.

Varejistas devem se preparar para enfrentar os desafios e aproveitar as vantagens do Pix

É claro que isso não virá da noite para o dia – tampouco sem uma preparação adequada dos gestores. Como citado anteriormente, o PIX ainda suscita muitas dúvidas. Ainda há discussão quanto ao custo e como será cobrado, mas já há o entendimento inicial de que haverá custo para pessoa jurídica que receber recursos. Logo, é preciso equilíbrio no caixa para que essa taxa a mais seja diluída de forma adequada nos ganhos proporcionados. O mercado observa diversas instituições adotando um caminho parecido com o cartão de débito, em que é cobrado um percentual do valor transacional (o MDR), mas outras apostam em um custo fixo independentemente do valor que está sendo transacionado.

Em todo o caso, o PIX já está em jogo – cabe aos varejistas se prepararem de forma adequada e competirem com esse novo recurso. Não há mais espaço, por exemplo, para a prática de preços diferenciados de acordo com o meio de pagamento (como muitos faziam até recentemente com as vendas em dinheiro e em cartão). O avanço da tecnologia trouxe mais facilidades e remodelou os hábitos e comportamentos dos consumidores, ressignificando o varejo como um todo. O mundo mudou e está cada vez mais digital – inclusive na forma de comprar e pagar.

Henrique Carbonell
Imagem: divulgação da F360º

Sobre a F360° 

Fundada em 2013 por Henrique Carbonell, Fernando Carbonell e Luiz Fernando Payolli, a F360° é uma startup  com a missão de transformar a gestão de varejo de franquias e do pequeno e do médio varejista desenvolvendo a melhor ferramenta de gestão do Brasil. Se você quiser saber mais sobre a F360°, então acesse https://www.f360.com.br/.

Autor: Henrique Carbonell, sócio-fundador da F360°

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então é só seguir o Seu Crédito Digital no YouTube, Facebook, Twitter, Instagram e Twitch. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc. Siga a gente para saber mais!

Imagem: Monkey Business Images / Shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...