Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Aumento de jovens aprendizes indica fortalecimento das políticas públicas no Brasil

Número de jovens aprendizes no Brasil atinge recorde de 602.671, aponta análise do Ministério do Trabalho e Emprego. Saiba mais!

Em uma análise recente divulgada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, observa-se um aumento significativo no número de jovens aprendizes no mercado de trabalho brasileiro.

Atualmente, há 602.671 jovens aprendizes contratados, marcando o maior número na série histórica do país. A seguir, entenderemos melhor esse cenário.

O que contribui para o aumento dos jovens aprendizes no Brasil?

Imagens de jovens sentados em classes. Uma jovem está em pé, com livros nos braços
Imagem: Unsplash/Javier Trueba

No primeiro trimestre de 2024, foi registrado um crescimento de 8,3% no ingresso de jovens na aprendizagem, comparado a dezembro de 2023, com 46.491 novos aprendizes.

Esse aumento é visto como um reflexo direto da intensificação das políticas públicas voltadas para a juventude e do fortalecimento dos programas de capacitação profissional iniciados pelo governo federal.

Quais são os benefícios para os jovens aprendizes?

A Lei da Aprendizagem, regulamentada pela Lei nº 10.097/2000, define diretrizes para a contratação de jovens com idades entre 14 e 24 anos. Os benefícios incluem registro em carteira profissional, direitos trabalhistas assegurados, e uma jornada de trabalho reduzida, que não ultrapassa seis horas diárias.

Além disso, o jovem aprendiz tem garantias similares a um trabalhador regular sob o regime da CLT, como férias, 13º salário e benefícios previdenciários.

Uma característica distintiva é que as empresas contribuem com uma alíquota de 2% para o FGTS do aprendiz, enquanto para os demais trabalhadores o valor é de 8%.

Legislação e implicações práticas para as empresas

A Lei da Aprendizagem determina que todas as empresas de médio e grande porte devem empregar um contingente de aprendizes que corresponda a 5% a 15% dos cargos que demandam formação profissional.

Essa regra tem um papel crucial no desenvolvimento de habilidades práticas nos jovens, preparando-os efetivamente para o mercado de trabalho.

Além de cumprir uma função social importante, a adoção de aprendizes pelas empresas contribui para a formação de um mercado de trabalho mais qualificado e adaptado às necessidades contemporâneas de diversos setores industriais e comerciais.

Qual é o impacto dessas medidas para o futuro do trabalho no Brasil?

O investimento em jovens aprendizes é uma estratégia que beneficia todos os envolvidos. Para os jovens, representa uma porta de entrada para o mercado de trabalho, oferecendo uma formação sólida e reconhecida.

Veja também:

Feriado prolongado nesta quinta-feira (23) promete descanso para os brasileiros

Para as empresas, é uma oportunidade de moldar talentos alinhados às suas necessidades. Finalmente, para a economia, essas medidas asseguram uma renovação constante da força de trabalho, essencial para a sustentabilidade e crescimento econômico.

Com a continuidade e ampliação dessas políticas públicas, o futuro profissional dos jovens brasileiros parece cada vez mais promissor.

Imagem: Unsplash/Javier Trueba