Nas últimas semanas, aumentaram muito as expectativas e especulações em torno do Renda Brasil, o novo programa social que Bolsonaro quer criar. Afinal, o Renda Brasil deverá pagar mais do que o Bolsa Família, como adiantamos nessa matéria. No entanto, para possibilitar a criação do Renda Brasil, alguns outros benefícios sociais terão que ser extintos. Confira nessa matéria quais são esses benefícios que provavelmente serão eliminados para dar lugar ao Renda Brasil.

É provável que você também goste:

Auxílio emergencial: Dataprev aprova pagamento para 1,5 milhões de cadastros que passaram por reanálise

Descubra 4 medidas que podem aumentar o seu score de crédito no SPC/SERASA, mesmo durante a pandemia.

Definida a data da 4ª parcela do auxílio emergencial para o Bolsa Família.

Benefícios sociais serão extintos para criação do Renda Brasil

Caso o programa Renda Brasil saia do papel, o primeiro programa social a ser eliminado é o Bolsa Família; afinal, a ideia do Renda Brasil é justamente substituir o Bolsa Família. A ideia é que o Renda Brasil seja um programa de renda básica voltado, principalmente, à população pobre que recebe o Auxílio Emergencial.

Por enquanto, o Renda Brasil está em fase de desenvolvimento pelo governo federal. Entretanto, para entrar em vigor, o Renda Brasil ainda precisará ser aprovado pelo Congresso. Bolsonaro também pode criar uma medida provisória implementando o Renda Brasil, mas, nesse caso, o programa social ficaria em vigor por poucos meses, sendo necessária a aprovação do Congresso para que o programa seja definitivo.

Conforme informações dos bastidores do governo, Bolsonaro estaria pretendendo lançar o Renda Brasil nos próximos meses. Sendo assim, a intenção é que o Renda Brasil entre em vigor logo após o fim do Auxílio Emergencial, cujo término está previsto para setembro ou outubro.

Além dos atuais beneficiários do Bolsa Família, o Renda Brasil deverá incluir mais beneficiários. Em outras palavras, o Renda Brasil deverá ser uma ampliação do Bolsa Família.

No entanto, para que seja viável a criação do Renda Brasil sem aumentar despesas, o governo Bolsonaro cogita eliminar ou reduzir outros programas sociais que seriam considerados pouco eficientes. Esses programas sociais seriam o abono salarial, o salário-família, o seguro-defeso e a Farmácia Popular. Com a extinção ou redução desses programas sociais, haveria dinheiro suficiente para financiar o Renda Brasil.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem destacada: rafapress / Shutterstock.com

 

Sobre o Autor

Jadre Marques Duarte Junior

Redator-chefe

Graduado em Administração de Empresas pela UFRGS. Apaixonado por marketing, comunicação e finanças, possuo mais de 8 anos de experiência na área de T.I. aplicada a serviços financeiros.

Ver todos os artigos