Bradesco fecha mais de 1.000 agências e demite milhares de funcionários

Apesar de dificuldades, presidente do banco está otimista em 2021.

0

O plano de reestruturação do Bradesco para reduzir despesas iniciado em 2020 foi responsável por fechar 1.083 agências e demitir 7.754 funcionários. Em 2021, o plano é dar início à segunda fase de fechar mais 450 unidades.

É provável que você também goste:

Programa de desligamento voluntário do Banco do Brasil teve 5.533 pedidos aceitos

Presidente do Bradesco acena para renegociação de crédito caso a pandemia de Covid-19 se agrave

Confira um truque fundamental para conseguir empréstimo no Bradesco

Ao somar as reduções do ano passado com as previstas para este ano, o total chega a 1.533 agências fechadas. Em comparação as 3.395 unidades operantes em 2020, a diminuição chega a 55%.

O Bradesco informou que houve uma economia de R$ 3,2 bilhões com aluguéis, folha de pagamento, marketing, seguros, materiais de escritório e impostos, que equivalem a 6,6% das despesas operacionais.

Em contrapartida, a ação gerou ao banco um resultado de 46,3% de eficiência operacional em um ano, o que resultou no melhor desempenho da história do Bradesco.

Mais cortes no Banco Bradesco em 2021

De acordo com informes do presidente do banco, Octavio de Lazari Júnior, das 450 agências programadas para fecharem neste ano, 300 serão convertidas em outras unidades de negócio. Por outro lado, as 150 restantes vão encerrar suas atividades.

No ano passado, 400 agências foram fechadas e cerca de 700 viraram unidades de negócio. O executivo explica que, com o aumento do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) em 2020, houve renegociação dos contratos, o que aumentou o preço dos aluguéis e forçou agências a serem fechadas.

Protestos contra demissões em massa do Bradesco

Além das agências, o banco tem diminuído o número de funcionários. O ano de 2020, por exemplo, terminou com um corte de 8% de seus trabalhadores em plena pandemia.

A ação gerou protestos de bancários do país inteiro no ano passado, alegando que, apesar de reduzir custos da empresa, as demissões aumentam a taxa de desempregos no país e inflam gastos da seguridade social, o que sem dúvida dificulta a retomada econômica do Brasil.

Apesar das dificuldades do Bradesco, este ano pode ser promissor

Por fim, Lazari declarou que a expectativa para 2021 é bastante positiva em relação às reformas tributária e administrativa. Outro ponto digno de otimismo é a vacinação que começou neste ano. Afinal, com um maior controle da pandemia de covid-19, acredita-se que teremos um cenário econômico mais animador.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então é só seguir o Seu Crédito Digital no YouTubeFacebookTwitterInstagram e Twitch. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc. Siga a gente para saber mais!

Imagem: IGOR GALLO KALASSA / Shutterstock.com

Comentários
Carregando...