Brasileiro gasta em média mais de R$ 1600 por ano com apps de transporte

A soma de muitos pequenos gastos pode fazer mais estrago no orçamento no fim do mês do que se imagina. E se eles não forem controlados, o susto quando a fatura do cartão de crédito chegar pode ser alto.  Pensando nisso, o aplicativo de gestão financeira e curadoria de produtos Guiabolso mapeou os gastos de 203 mil usuários de todo o país com aplicativos de transporte, de comida e de consumo de filmes e música nos últimos 12 meses.

É provável que você também goste:

Cadastro Positivo: bancos começam a remover restrição interna e liberar mais crédito

Saiba quais são as franquias mais baratas do Brasil para investir

Parceria entre Banco Inter e Uber dá conta digital a motoristas

Brasileiros gastaram, em média, R$ 135 com apps de transporte em janeiro

Somente com os apps de transporte, a despesa média por pessoa em janeiro foi de R$ 134,40. A pesquisa ainda verificou que quase 30% das pessoas analisadas tiveram algum tipo de gasto nesta categoria e esse valor impactou o equivalente a 3,1% da renda delas.

Nos últimos 12 meses, o valor médio desembolsado pra bancar as corridas de Uber, 99 e Cabify ficou em R$ 1.636,85. “O gasto acumulado em um ano assusta, principalmente porque as corridas costumam ter um valor bem menor e são descontadas diretamente no cartão de crédito. A pessoa nem precisa abrir a carteira e só vai se dar conta do volume quando chega o final do mês”, compara o diretor de Produto e Tecnologia do Guiabolso, Julio Duram.

Outros apps

O diretor do Guiabolso também chama a atenção pra evolução de despesas e aumento dos usuários com gastos em aplicativos pra pedir comida, como o iFood e o Uber Eats. O gasto médio avançou quase 7% entre janeiro de 2019 e janeiro deste ano (era R$ 99 no começo do ano passado e passou pra R$ 105,70 no mês passado). O total de pessoas que passaram a usar esse sistema quase dobrou no mesmo período.

O gasto médio na soma dos últimos 12 meses foi de R$ 1.219,85. “Apesar do valor ser expressivo, ele precisa ser visto com cuidado. O importante é não comprometer o orçamento. Caso tenha sido demais, esse gasto pode ser compensado de outra forma, com um aperto de cinto aqui ou uma troca com outra despesa. Além disso, pedir pra comida ser entregue em casa pode ser mais barato que ir a um restaurante”, compara Duram.

E os que gastaram nas quatro categorias ao mesmo tempo?

A pesquisa ainda analisou as pessoas que tiveram despesas nas quatro categorias de aplicativos no mesmo mês e ao mesmo tempo. No começo desse ano, o volume de renda consumido se aproximou de 8% contra menos de 7% um ano antes. Além disso, a soma de  desembolsos nos últimos 12 meses foi de R$ 5.035,40.

O valor médio gasto em um ano é quase cinco vezes maior que o salário mínimo brasileiro (atualmente em R$ 1.045). Julio Duram ainda lembra as infinitas possibilidades que poderiam ser feitas com esse dinheiro. ” As opções vão desde pagar uma dívida até quitar os impostos que se multiplicam no começo do ano, passando por tirar um sonho do papel, como uma viagem ou a reforma da casa.”

O Guiabolso lista abaixo algumas dicas pra não se enrolar com esses gastos “invisíveis”:

1 – Tenha visibilidade das despesas

Isso evita os sustos quando a fatura do cartão de crédito chega e o valor é bem mais alto do que estava sendo projetado. Acompanhe a fatura ao longo do mês, afinal, muitas vezes gastamos muito dinheiro usando apps de transporte sem perceber.

2 – Avalie a real necessidade daquela escolha

A vida é um constante jogo de escolhas. Posso optar por conforto ou economia quando o assunto é transporte, por exemplo. Tão importante quanto a decisão final é saber como ela pode afetar o orçamento e o que fazer pra equilibrá-lo em caso de abusos. Sendo assim, avalie se realmente é necessário usar apps de transporte ou se não há alguma opção mais barata que seja viável.

3 – Tente estipular um teto de gastos pra cada categoria

Isso depende de realmente conhecer os próprios hábitos e monitorar como as coisas estão indo naquele mês. Esse planejamento te ajuda a manter o controle da situação e definir uma opção mais em conta num momento de limite quase atingido ou de mais “folga” em caso do teto ainda estar longe de ser alcançado.

Sobre o Guiabolso

O Guiabolso é um aplicativo personal trainer das finanças que, acima de tudo, torna mais fácil a maneira como as pessoas lidam com dinheiro e têm acesso a produtos financeiros. O app organiza todas as contas em dois minutos, tudo automaticamente, sem a pessoa ter de anotar os gastos. Além de dar sugestões pro usuário conseguir gastar melhor o dinheiro e guardar mais, a plataforma faz a curadoria de produtos financeiros de acordo com o perfil do consumidor. A missão do Guiabolso é principalmente ajudar as pessoas a melhorarem a vida, além de transformar o sistema financeiro. O Guiabolso surgiu em 2014 e de lá pra cá já recebeu R$ 215 milhões em cinco rodadas de investimentos.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: TY Lim, via Shutterstock.

Eduardo Mendeshttps://seucreditodigital.com.br/author/mendes/
Sou um entusiasta da tecnologia, que também aprecia inovação, empreendedorismo, além de Fintechs e as suas facilidades. Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Co-Fundador do site Seu Crédito Digital.
- Publicidade -

Mais Populares

Os 5 melhores cartões de crédito sem anuidade e que estão aprovando em 2020

Estamos passando por um momento bastante complicado, em virtude do novo coronavírus. Sendo assim, não faz o menor sentido continuar usando um cartão de...

Caixa e Bradesco oferecem empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa

Embora possa parecer estranho, tanto a Caixa como o Bradesco possuem empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa. Infelizmente, existem situações em que os...

Receita Federal assina acordo com governo para identificar mais fraudes no auxílio emergencial

Receita Federal assinou um acordo com o governo em que visa identificar mais fraudes no auxílio emergencial. Na semana passada, mais precisamente na quinta-feira...

Como solicitar crédito do Pronampe para micro e pequenas empresas

As micro e pequenas empresas precisam de crédito urgente durante a crise causada pelo novo coronavírus. Somente através das linhas de crédito do Programa...
- Publicidade -