Muitos brasileiros são alvo de golpes que roubam os dados de cartão de crédito todos os dias. Para se ter uma ideia, o Brasil é o terceiro país do mundo que mais sofre ataques de formjacking, um tipo de golpe que rouba os dados do cartão de crédito da vítima. O preocupante relatório foi divulgado pela Symantec, empresa que é especializada em segurança da internet.

É provável que você também goste:

Auxílio emergencial negado? Você poderá contestar decisão na Defensoria Pública

Caixa esclarece como você deve proceder para não cair em golpes

Cuidado: golpe do auxílio emergencial usa aplicativo falso

Brasileiros são alvo de golpes que roubam dados do cartão

Além da informação que põe o Brasil como um dos países que mais sofrem esse tipo de golpe, o artigo da Symantec ainda menciona quais são as principais tendências em ataques na internet para este ano. Além disso, os golpes virtuais que foram feitos durante todo o primeiro trimestre de 2020 também foram analisados pela empresa. Os golpes relacionados ao novo coronavírus foram os de maior destaque.

No golpe executado contra brasileiros, os golpistas usam uma técnica para roubar os dados dos cartões de crédito de consumidores do e-commerce, quando vão realizar o pagamento. Na realidade, este tipo de golpe cresce no mundo todo, mas no Brasil ele merece uma atenção maior; pois, é o terceiro país que mais ocorre esse tipo de crime.

Para se ter uma ideia, de acordo com a Symantec, os ataques de formjacking aumentaram bastante desde último trimestre de 2019, quando foram identificados 7.633 ataques. Já entre janeiro e março de 2020, este número subiu para 7.836. Segundo a empresa especializada em segurança online, este tipo de golpe está crescendo porque é mais fácil de aplicar pelos criminosos. Ao invés de terem que inserir códigos maliciosos em todo o site, eles apenas inserem esses códigos no formulário de pagamento.

Coronavírus vem sendo utilizado como isca em golpes

Com o início da pandemia do novo coronavírus, os criminosos ganharam mais uma forma de praticar golpes. Com o interesse da população sobre o novo vírus, os golpistas começaram a disparar e-mails maliciosos com o assunto ”Coronavírus”. Foram bloqueados ao menos 5 mil e-mails deste tipo pela Symantec. No mês de março, a disseminação desses e-mails maliciosos subiu 1542%.

Abaixo, você confere mais alguns tipos de ameaças que estão crescendo em 2020:

Ameaças a e-mails de empresas

Segundo o FBI, em um relatório divulgado em fevereiro, os crimes virtuais com ataques a e-mails corporativos são os mais eficazes e também os mais perigosos. Isso porque, só no ano passado, os criminosos conseguiram roubar US$ 1,77. Os números desse tipo de crime não param de crescer. Para se ter uma ideia, entre janeiro e março deste ano, foram identificados 30.758 ataques.

Ataques de phishing, novamente

Após começar um grande declínio no ano passado, os ataques de phishing voltaram a aumentar em 2020. A Symantec acredita que a volta deste tipo de crime se deve principalmente à oferta de kits de phishing mais sofisticados nos mercados da deep web. Além disso, o coronavírus é também responsável pelo aumento no envio de mensagens maliciosas.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: SpeedKingz via Shutterstock