Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Brasileiros estão preferindo empreender a ter uma longa carreira no mundo corporativo

0

Segundo o relatório do Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2021, feito pelo Sebrae em uma parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), empreender se tornou o terceiro maior sonho dos brasileiros.

Grande parte das pessoas que vivem no Brasil têm o sonho de obter um negócio próprio, superando a vontade de construir uma longa carreira no mundo corporativo. Esse desejo perde apenas para a vontade de ter uma casa própria e viajar pelo país. 

Para a realização do levantamento, em 2021, o Sebrae contou com 2 mil respondentes e 46 especialistas.

É provável que você também goste:

Entenda como fica a aposentadoria de quem passa de CLT a MEI

MEIs: como contratar o novo empréstimo de R$ 3 mil?

Grupo Boticário abre vagas para cursos gratuitos de beleza e empreendedorismo

Existem 43 milhões de empreendedores no Brasil

De acordo com o GEM 2021, existem 43 milhões de empreendedores no Brasil. Esse volume abrange os que já possuem um negócio formal ou que, no último ano, fizeram alguma ação com objetivo de ter um empreendimento futuramente.

Os dados revelam um cenário de queda no número de microempreendedores individuais (MEIs), empresários e novos empreendedores. 

No entanto, o volume de empreendedores que estão na liderança de um negócio com mais de 3 anos voltou a apresentar alta no Brasil. O crescimento foi 1,2%, saindo de 8,7% em 2020, para 9,9% em 2021. O total equivale a cerca de 14 milhões de pessoas.

Além disso, o Brasil agora ocupa a sétima posição no ranking de empreendedorismo global e é considerado uma das principais economias com o maior volume de empreendedores estabelecidos no mundo. 

A queda no número de empreendedores iniciais não é preocupante

De acordo com Carlos Melles, presidente do Sebrae, a queda no número de empreendedores iniciais não é necessariamente um caso preocupante. Esse declínio reflete um cenário gerado pela melhora da pandemia de Covid-19. 

Nos dois últimos anos, muitos negócios foram criados como uma forma de fugir do desemprego e da crise econômica causada pela doença. Para Melles, um indicador positivo dessa queda é justamente o fato de que um número maior de empreendedores mais experientes puderam manter os negócios abertos, apesar dos impactos macroeconômicos. 

A taxa de empreendedorismo por necessidade declinou 

Ainda de acordo com o relatório, o declínio na taxa de empreendedorismo por necessidade pode ser observado.

Em 2021, aproximadamente 48,9% dos novos empreendedores abriram seus negócios por necessidade. Em 2020, o número chegou a 50,4%. Já o empreendedorismo por oportunidade atingiu 76% do total. 

O acesso a crédito é importante para empreendedores no Brasil

Segundo Carlos Melles, presidente do Sebrae, o acesso a crédito, mesmo quando tomado em um cenário emergencial, é importante para o amadurecimento das pequenas empresas no Brasil. 

Além disso, Melles também fala sobre um consenso que existe entre vários representantes do governo e da indústria de que a disponibilização de crédito para PMEs deve seguir sendo o principal alvo de empenho. 

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Rohan Makhecha / Unsplash.com

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar