Desde o dia 26 de setembro, a Caixa Econômica Federal liberou a modalidade de empréstimo consignado com garantia do FGTS. Com isso, todos os trabalhadores podem efetuar o empréstimo, usando como garantia o saldo nas suas contas do FGTS. São 37 milhões de brasileiros que tem direito. Outros bancos poderão aderir, mas precisam ter um convênio firmado com a Caixa. Saiba mais como funciona.

Leia mais:

Como conseguir ‘empréstimo’ rápido e sem análise de crédito.

Empréstimo do FGTS: você pode solicitar o equivalente a 50% do saldo

Paraná Banco concede empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa.

Caixa libera consignado com garantia do FGTS sem consulta ao SPC e Serasa (veja quanto você pode solicitar)

O Crédito Consignado não tem a necessidade de avalista e é sem consulta ao SPC e Serasa. Para solicitar, basta se enquadrar nas seguintes situações:

  • Trabalhar como servidor – Municípios, Estado ou Governo Federal;
  • Ser aposentado ou pensionista do INSS;
  • Empregado de empresa privada, desde que a empresa tenha convênio com a Caixa.

Neste último caso, a empresa precisa ter um convênio ativo com a Caixa. As empresas que ainda não aderiram, podem procurar uma agência e assinar o contrato de consignação. É necessário receber o salário em uma conta da Caixa Econômica Federal, precisa estar empregado há pelo menos 12 meses junto à empresa e possuir saldo no FGTS que cubra o valor total do empréstimo. Confira uma simulação ao final do texto.

Contudo, de acordo com as regras, o valor da parcela não poderá superar 30% do salário bruto, para prevenir o endividamento. Por exemplo, se você ganha R$ 1.000 por mês, poderá descontar no máximo R$ 300 como parcela do empréstimo consignado.

A taxa de juros para os trabalhadores da iniciativa privada é de 3,5% ao mês. Certamente é um valor bem menor do que o crédito direto ao consumidor, bem como outras modalidades de empréstimo. Entretanto, a Caixa informou que os juros serão à partir de 2,63%, dependendo do perfil da empresa e do trabalhador.

Como funciona o consignado com garantia do FGTS

Funciona da seguinte forma: os trabalhadores poderão dar até 10% do saldo do Fundo e a multa de 40% em caso de demissão sem justa causa. Com isso, em caso de demissão sem justa causa, o banco poderá descontar o valor deste saldo. Além disso, os valores seguem na conta do FGTS rendendo normalmente.

Por fim, confira uma simulação considerando um saldo de R$ 10 mil reais no FGTS:

  • Valor referente a 10% (garantia) – R$ 1 mil
  • Valor referente à multa de 40% (garantia) – R$ 4 mil
  • Taxa de juros em 24 ou 48 meses – 2,63%
  • Valor máximo do empréstimo: R$ 5 mil
  • Empréstimo em 24 meses – parcela de R$ 297,85 (montante de R$ 7.148)
  • Empréstimo em 48 meses – parcela de R$ 194,51 (montante de R$ 9.336)

Gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim você acompanha nossos artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao mundo das fintechs.