Cielo contra-ataca Rede e anuncia pagamento no mesmo dia e devolução do valor da maquininha

Cielo

A Cielo anunciou, hoje (24), que vai realizar pagamentos de recebíveis de forma instantânea. A novidade é voltada para clientes que possuem a conta digital da empresa. Além disso, a companhia negocia com bancos para que contas correntes dos demais domicílios bancários também tenham acesso à ferramenta.

É provável que você também goste:

Posso abrir Conta Fácil da Caixa com o nome sujo no SPC e Serasa?

Anuidade bonificada cartão Senff: Ganhe bônus mensal no celular.

Banco Inter promete devolver metade das taxas de aplicações de fundos.

“Todos os nossos parceiros estão convidados, não só os acionistas [BB e Bradesco têm ações da credenciadora]”, disse o CEO da empresa, Paulo Caffarelli.

Cielo contra-ataca Rede e anuncia pagamento instantâneo e devolução do valor da maquininha

Taxa

No entanto, a empresa, antes, possibilitava antecipação para dois dias depois da compra (D+2), com cobrança de taxa. A antecipação instantânea (D+0) também contará com taxas: 1,99% para débito, 4,99% para crédito à vista e 4,99% para crédito parcelado.

Devolução do preço pago pelas maquininhas

Além disso, a empresa também anunciou a devolução do preço pago pelas maquininhas. Ou seja, os clientes que contarão com retorno do valor pago serão os que realizarem 1,6 mil em compras no cartão de crédito por três meses seguidos.

Estas medidas da Cielo são vistas como um contra-ataque a outras medidas recentes de concorrentes, como a Rede, que, recentemente zerou a taxa de antecipação de recebíveis, assim como a SafraPay. Por fim, o Pagseguro iniciou com o movimento de pagamento instantâneo.

A Cielo é a maior do setor, mas vem perdendo market share desde que começou a ter novos concorrentes. Contudo, segundo resultados divulgados ontem (23), nos últimos três meses, a empresa deixou de perder fatia de mercado pela primeira vez desde 2016.

“É um bom sinal, mas não é uma corrida de cem metros”, disse o presidente da empresa.

“Não estamos só sendo atacados, estamos atacando também”, disse Caffarelli. O objetivo, de acordo com ele, é que a companhia tenha o menor custo final para o cliente, considerando aluguel, taxa MDR, antecipação e outros.

“Não abriremos mão da liderança, mas a Cielo de R$ 4 bi de lucro não existe mais, o mais importante é ser competitivo”, complementa.

Enfim, gostou da notícia sobre a Cielo?

Nos siga então em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Sobre o autor Ver Posts Author website

Luiz Felipe Kessler

Graduado em Administração de Empresas pela UFRGS.

Entusiasta de fintechs e tudo o que a tecnologia proporciona de facilidades em nossas vidas.

Fundador dos sites Seu Crédito Digital, Conexão Estudante e do Optclean Tecnologia.

Comentários no Facebook