Prazo de contestação do auxílio emergencial negado de R$ 300 termina dia 2 de novembro. Veja como contestar.

Confira como fazer a contestação e voltar a receber o benefício.

0

Quem teve o auxílio emergencial residual de R$ 300 negado injustamente tem só até o dia 2 de novembro para contestar. Após esse prazo, não vai ser mais possível contestar a negativa, exceto por meio da Justiça, é claro. Se você teve o seu auxílio emergencial cancelado de forma indevida, você deve fazer a contestação no site da Dataprev. A contestação pode ser feita também por quem recebia R$ 1200 e agora teria direito a parcelas de R$ 600.

É provável que você também goste:

Quando você tem direito de cancelar uma compra no cartão de crédito?

Bolsonaro recua e diz que auxílio não tem como ficar por muito tempo

Pedir aumento de limite no cartão de crédito com muita frequência reduz o score de crédito?

Como fazer a contestação do auxílio emergencial residual de R$ 300 negado?

Ao acessar o site do Dataprev, você deve fazer o seguinte passo a passo:

  1. Em primeiro lugar, acesse o campo “acompanhe sua solicitação”;
  2. Em seguida, depois de confirmar seus dados, o site vai indicar o motivo pelo qual você perdeu o benefício.
  3. Após conferir a informação, você pode fazer o pedido de contestação;
  4. Por fim, o Dataprev vai rever o seu pedido.

Contudo, se você fez a reclamação e mesmo assim teve a negativa foi mantida pela Caixa, você ainda pode recorrer à Defensoria Pública, cujo número é 121. Além disso, você pode contestar pelo canal Fala BR (clique em solicitação e efetue o login).

Depois da nova análise de seus dados, se o seu pedido de auxílio emergencial for aprovado, você vai receber o dinheiro no mês seguinte ao do pedido de contestação. Nesse caso, o pagamento será de forma retroativa.

Há casos em que a pessoa realmente perdeu o direito ao auxílio

Por outro lado, antes de entrar com pedido de contestação do auxílio emergencial residual negado de R$ 300, é importante saber se você realmente não perdeu o direito ao benefício. Quem passou a ter vínculo empregatício após o início do recebimento agora não tem mais direito ao auxílio.

Da mesma forma, quem recebeu benefício assistencial ou previdenciário, seguro-desemprego ou qualquer programa de transferência de renda no período também não ganha mais o auxílio.

Você pode conferir neste link todos os casos em qual o beneficiário perde direito ao auxílio emergencial.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitch e Instagram. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc.

Imagem: Brenda Rocha / Shutterstock

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar