Um Projeto de Lei pretende garantir seguro-desemprego para todo microemprendedor individual (MEI) que comprovar falta de renda. O PL 662/20, prevê essa possibilidade enquanto durar a crise ocasionada pela pandemia do coronavírus. Saiba mais.

É provável que você também goste:

Pausa Estendida no App Habitação Caixa não funciona? Veja como solicitar.

2 novos benefícios no total de R$ 800 podem ser liberados pelo governo, um deles substitui o Bolsa Família.

Bolsa Família: Governo vai incluir 1,2 milhão de pessoas e suspende bloqueios e cancelamentos.

Coronavírus: Projeto de Lei garante seguro-desemprego para MEI

Primeiramente, saiba o que o texto prevê:

  • O PL 662/20 determina o pagamento de um salário mínimo para os desempregados e os trabalhadores informais que não tiverem renda;
  • Acelera a liberação do INSS para os doentes com coronavírus;
  • Reduz as contas de água, luz e gás durante a crise.

As medidas foram propostas pelo deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ) como ações emergenciais a serem tomadas para garantir o isolamento social e evitar a propagação da Covid-19 com mais intensidade.

Salário mínimo (seguro-desemprego para MEI)

De acordo com o texto, o MEI que comprovar a falta de renda poderá solicitar o seguro-desemprego enquanto durar o período de pandemia do coronavírus. Todavia, para desempregados e aos informais que comprovarem ausência de renda, será garantido um salário mínimo.

INSS

O trabalhador diagnosticado com coronavírus receberá o salário pela empresa por sete dias. Passado esse prazo, de acordo com o projeto de lei, a remuneração será custeada pelo INSS – limitado ao teto previdenciário – e dispensada a exigência de perícia.

Freixo explica que a medida vai diminuir os custos dos empregadores. A dispensa da perícia, segundo ele, garante o isolamento social e impede a propagação da doença. “Se o trabalhador for obrigado a realizar perícia, terá de se deslocar ao local, contaminando outras pessoas”, justifica.

Água, Luz e Gás

A proposta proíbe o corte do fornecimento de água, luz e gás dos inadimplentes, e determina a isenção de tarifa aos desempregados e à população com baixa renda. Os demais consumidores deverão pagar a tarifa social.

“Com a recomendação de quarentena, as pessoas tendem a ficar mais em casa e a consumir mais esses serviços, podendo ter um custo extraordinário, em prejuízo ao sustento da família”, afirma o parlamentar.

Tramitação

O projeto ainda não foi despachado às comissões. Se houver acordo, poderá ser incluído na pauta de votações do Sistema Remoto de Deliberações do Plenário.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Fonte: Contábeis

Imagem: andres barrionuevo lopez via shutterstock