A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,4% e totalizando 13,1 milhões de pessoas que procuravam por emprego. E o pior ainda, as taxas de subutilização e desalento bateram recordes. Os dados foram divulgados dia 29/3 através da pesquisa Pnad Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

É provável que você também goste:

Santander On: como consultar grátis o seu CPF no banco de dados do Serasa.

Pag! disponibiliza 73 vagas de emprego para São Paulo e Vitória (ES)

Como fazer um empréstimo para MEI no Banco do Brasil e na Caixa

Desemprego sobe e atinge mais de 13 milhões de brasileiros, diz IBGE

No trimestre que contempla os meses de setembro a novembro de 2018, a taxa de desemprego havia ficado em 11,6%. A alta que tivemos entre novembro de 2018 e fevereiro de 2019, representa a entrada de 892 mil pessoas na população desocupada. Há exatamente um ano atrás, a taxa era de 12,6%.

Na continuidade dos dados da pesquisa, o grupo de trabalhadores subutilizados alcançou 24,6%, chegando a 27,9 milhões de pessoas. O número é o maior alcançado desde o ano de 2012, em que começou a série histórica.

A taxa dos que desistiram de procurar trabalho também bateu recorde, e contemple 4,9 milhões de pessoas desalentadas. Isso corresponde a 275 mil pessoas a mais em relação a 2018.

Trabalhadores com carteira assinada

O número de trabalhadores com carteira assinada estabilizou em relação ao último trimestre, bem como em relação ao mesmo período em 2018. Entretanto, o número de empregados sem carteira assinada reduziu (-4,8%) em relação ao último trimestre, mas ainda é maior 3,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

A categoria dos trabalhadores por conta própria (23,8 milhões), manteve-se estável na comparação com o período anterior e cresceu 2,8% em relação ao mesmo trimestre de 2018. O contingente de empregados domésticos manteve-se com o mesmo número desde 2018. Hoje equivale a 6,2 milhões de pessoas em todo o país.

Todavia, se você ficou com dúvidas sobre os termos subutilização e desalento, segue uma descrição logo a seguir, de acordo com informações do IBGE:

  • Subutilizados são os trabalhadores que possuem jornada inferior a 40 horas semanais e estavam disponíveis e gostariam de trabalhar mais.
  • Desalentados são aqueles que estavam disponíveis para uma vaga mas não estavam procurando emprego porque já haviam desistido da busca.
  • Desempregados são as pessoas que procuraram trabalho mas não estavam disponíveis para trabalhar por alguma razão.

E então, gostou do artigo?

Nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Acompanhe todas as notícias e artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Sobre o autor Ver todos os posts

EDUARDO MENDES

Sou um entusiasta da tecnologia, que também aprecia inovação, empreendedorismo, além de Fintechs e as suas facilidades.
Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e fundador dos sites Optclean Tecnologia, Conexão Estudante e Seu Crédito Digital.

Comentários no Facebook