Fintech brasileira de empréstimos recebe investimento de US$ 10 milhões e fará contratações

0

A fintech brasileira de empréstimos Rebel anunciou no dia 3 de dezembro de 2019 que recebeu um aporte de US$ 10 milhões, o equivalente a R$ 41,98 milhões. Entre os investidores da Rebel, estão o fundo brasileiro Monashees e o norte-americano Fintech Collective.

É provável que você também goste:

Fintech Cora mira pequenas empresas e disputa mercado com Banco Inter e Nubank

Novo Serasa Score pode facilitar sua obtenção de crédito na praça. Conheça as novidades!

Serasa Experian revela dados importantes sobre Score de Crédito e consumidores

O novo investimento já tem destino: a fintech brasileira de empréstimos quer fazer contratações em áreas como ciência de dados, desenvolvimento, marketing e vendas. Hoje sediada no Rio de Janeiro, a Rebel tem uma filial em São Paulo com 50 colaboradores.

O presidente executivo da Rebel, Rafael Pereira, está otimista quanto ao futuro da empresa. “Queremos dobrar ou triplicar o número de funcionários ao longo de 2020. Precisamos estar espalhados pelo país para conseguir contratar, porque hoje há escassez de profissionais nessa área”, conta. “Nossa meta é ajudar a reduzir um problema histórico no país, que é o alto spread bancário”.

Para os próximos meses, a fintech brasileira de empréstimos deve lançar um aplicativo próprio e de linhas de crédito oferecidas em parceria com varejistas.

Conheça mais sobre a Rebel

A fintech foi criada em 2016 e concede empréstimos de R$ 1 mil a R$ 25 mil pela internet. As taxas de juros variam de 1% a 8% ao mês e a concessão é feita em minutos. Nos últimos três anos, a Rebel já recebeu pedidos de R$ 5 bilhões em empréstimos. No entanto, a fintech não revela quanto de fato disponibilizou.

“Crédito sem garantia é algo mais difícil, mas decidimos começar por ele porque se fosse pra dar certo, ia dar certo rápido”, explica o presidente da empresa.

Eles utilizam uma inteligência artificial para vasculhar todas as informações do usuário na internet, com o seu devido consentimento para compartilhar informações pessoais, é claro. A tecnologia avalia até duas mil variáveis que cercam o cliente que busca um empréstimo. O endereço de quem está pedindo empréstimo, por exemplo, é avaliado na ferramenta Google Street View. “Conseguimos ver, pelas fotos, o tipo de carro e comércio na região, o que as pessoas vestem e fazer uma inferência para avaliar a capacidade de pagar do cliente”, diz André Botelho, cofundador e diretor financeiro da empresa.

“Acreditamos que o brasileiro nunca teve crédito de verdade, mas sim dívidas, porque os principais empréstimos concedidos aqui sempre foram consignados ou com garantias reais”, afirma Rafael. “Queremos reduzir a dependência do brasileiro de instrumentos como cheque especial ou cartão de crédito.”

Segundo o site da Rebel, a aprovação do empréstimo ocorre em até 15 minutos e o dinheiro cai na conta do cliente em até 1 dia útil. Além disso, não é preciso enviar documentos e o prazo para começar a pagar é de 45 dias. A taxa de juros cobrada dos clientes é de 2% ao mês. Além do empréstimo pessoal, eles têm linhas de crédito para casamento, mudança, reforma e compra de veículos.

Aportes recentes em fintechs brasileiras

As fintechs nacionais estão na mira dos investidores. A startup Cobre Fácil, por exemplo, recebeu recentemente um aporte de R$ 5 milhões, do fundo norte-americano Feba Capital. Eles já investiram também nas startups Consolide e OiMenu.

A Cobre Fácil faz gestão de recebíveis, pagamentos e serviços financeiros. Para 2020, vai abrir 30 vagas de empregos e melhorar a plataforma para facilitar a integração de pequenas empresas com soluções de faturamento, pagamentos, despesas e cartão corporativo.

“Conhecemos os desafios e dificuldades de se construir produtos digitais, pois já passamos por esse processo inúmeras vezes. E é justamente esta experiência que nos permite investir com segurança em mercados emergentes e em setores diferentes”, disse em entrevista Bill Madeira, da Feba Capital.

Outra startup que recebeu aportes recentemente foi a ULend. Eles facilitam o empréstimo entre pessoas e pequenas empresas. A startup recebeu 1,8 milhão de reais em apenas 72 horas em uma rodada de investimento. Foram 120 investidores e uma média de 15 mil reais aportados por cada um por meio da plataforma Eqseed.

Soluções de crédito pessoal online

Assim como a Rebel e a ULend, existem várias plataformas online para as pessoas físicas conseguirem empréstimos. Um exemplo é a Mutual, plataforma em que pessoas emprestam dinheiro para outras pessoas. Seu funcionamento foi autorizado pelo Banco Central e ela já tem 500 mil usuários. A plataforma promete rendimento acima do mercado para quem empresta e já movimentou R$ 10 milhões.

De acordo com o próprio site, a Mutual permite que quem tem dinheiro empreste os valores a uma taxa de 400% do CDI ao ano legalmente. Quando quem pega o dinheiro emprestado não paga em um prazo maior de 90 dias, a Mutual tem uma equipe jurídica para entrar com uma cobrança judicial em nome do investidor. Para pedir empréstimo na plataforma, no entanto, o cliente não pode ter o nome negativado.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: divulgação.

Comentários
Carregando...