Estamos vivendo cada vez mais e tendo cada vez menos filhos. Com isso, aumenta o número de pessoas mais velhas que estão trabalhando, consumindo e vivendo normalmente. Logo, esse público, a partir dos 60 anos, passa a virar alvo de diversos setores da economia. Um deles é o setor das fintechs, startups voltadas para a tecnologia na área das finanças. Inclusive, algumas dessas fintechs para idosos começam a ganhar destaque aqui no Brasil. Uma desses fintechs é a Prestho, que você vai poder conhecer mais abaixo.

Uma pesquisa do TIC Domicílios, do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação, revelou que a adoção da internet pelas pessoas idosas, a partir de 60 anos, foi a que mais cresceu nos últimos anos. Entre 2015 e 2017, o aumento foi de 56%. Os chamados ”seniores digitais” é uma categoria muito segmentada, com desejos e necessidades específicas, que demanda um olhar diferenciado. É preciso que eles tenham as facilidades das fintechs, mas sem precisarem estar familiarizados com as tecnologias da mesma forma que os jovens. Para isso, já é possível encontrar por aí algumas fintechs para idosos.

É provável que você também goste:

Clientes de fintechs são mais felizes, de acordo com o Google

Fintech usa Inteligência artificial para conseguir consórcios online mais baratos

Prestho, uma das fintechs para idosos mais famosas do Brasil

Em nosso país já existem algumas dessas fintechs para idosos e a Prestho é uma delas. A fintech foi fundada por Diego Andrade, cineasta e estrategista de marketing, e Patricia Soares, especialista em crédito consignado com experiência de quase 20 anos no setor. É uma fintech de crédito totalmente digital, voltada para Servidores Federais, Aposentados e Pensionistas do INSS. A startup foi pensada para facilitar a vida dos idosos. A dupla investiu em processos personalizados e uma navegação que considera as necessidades e dificuldades dos idosos, principalmente com a ferramenta digital. Por meio desses procedimentos simples e seguros, é possível simular e contratar um empréstimo consignado, por exemplo. O cliente pode fazer tudo sozinho, sem sair de casa e fora de horário bancários.

prestho

Fintech tem parceria com um banco tradicional

A Prestho, para conseguir viabilizar seus serviços, fez parceria com um banco tradicional. O banco é responsável pela concessão de cartão, análise de crédito e gestão de inadimplência. Enquanto isso a startup foca na experiência do usuário, oferta digital do produto, abertura de novos canais de vendas e relacionamento, sem deixar de lado a segurança dos dados e a checagem inicial da operação. ”O cliente tem a segurança de um Banco tradicional no final do processo e a inovação de uma fintech na ponta”, conta a
fundadora Patricia.

Para um futuro próximo, a Prestho está desenvolvendo um aplicativo direcionado para público sênior. Com previsão para o final de 2019, o app da Prestho foi criado para atender as necessidades dos idosos, ajudando no processo de empréstimo com informações claras, passo a passo didático e linguagem simples. Ele terá uma área do cliente para solicitação de empréstimo e cartão de crédito para acompanhamento de todas as etapas das
solicitações.

‘Não queremos entregar aos nossos usuários um aplicativo que, na prática, não faz sentido. Queremos construir junto com eles. Iremos lançar um versão e, a partir dos feedbacks, implantaremos novas funcionalidades. O aplicativo tem que ser funcional e, para que isto dê certo, o feedback de quem vai realmente usá-lo é muito importante para evoluirmos”, conta Diego, também fundador da empresa.

Desafio de lidar com as finanças na melhor idade

Usar um aplicativo para conseguir crédito é um dos desafios, mas não o único para o público sênior quando o assunto são as finanças. É preciso saber a hora certa de delegar a gestão do dinheiro (para os filhos ou outras pessoas próximas), por exemplo.

O cuidado para não cair em golpes também deve ser redobrado, assim como o hábito de guardar dinheiro para imprevistos e situações de emergência. A educação financeira do idoso é essencial para que ele tenha qualidade de vida nessa fase e os filhos e netos devem incentivar uma relação saudável com o dinheiro. Com isso, se abre um novo mercado, afinal a expectativa de vida do brasileiro já passa dos 75 anos. Então, resta saber se os direitos dos idosos serão garantidos no Brasil e se as empresas irão aproveitar esse momento para criarem novas soluções que irão facilitar a vida da população no futuro.

Outros aplicativos para idosos

Com o crescimento dessa faixa da população, surgem também outros tipos de aplicativos para os idosos que querem estar mais conectados. Um exemplo é o Be2, equivalente ao Tinder, facilitando para quem quer entrar novas pessoas a partir de 60 anos. Outro é o BP Watch, que controla dados de pressão, pulso e peso. São diversas as opções para que todas as idades se beneficiem do melhor da tecnologia. Outro app, para a mente, é o CodyCross. Nele, o usuário precisa descobrir as respostas para avançar nas fases, servindo como um jogo de conhecimentos gerais. Está disponível de graça para Android e iOS. Além deles, existe o Easy Idoso, que conta com um catálogo de atividades físicas para a população sênior. Ele apresenta e sugere estabelecimentos de saúde, casas de repouso, associações de terceira idade, centros de beleza e atividades de entretenimento. Está
disponível também para Android e iOS.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim continuará acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.