Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Greve do INSS passa a atingir mais estados nesta semana

0

Na última quarta-feira (23), servidores do INSS anunciaram uma greve geral, suspendendo o atendimento presencial em várias cidades do país. Hoje (29), a paralisação conta com mais de 20 estados e, segundo a Federação Nacional dos Servidores da Previdência Social (Fenasps), a tendência é que este número aumente. 

O movimento grevista deixa claro que pretende realizar uma paralisação de cunho nacional. No entanto, membros da Fenasps afirmaram em entrevistas que há uma reunião marcada com diretores do INSS para tentar resolver a situação neste momento. Portanto, caso um acordo seja feito, a greve será encerrada e os trabalhadores voltarão para os seus postos o mais rápido possível. 

É provável que você também goste:

Fila de espera para atendimento do INSS é a maior da história

Portaria atualiza critérios para administrar e revisar aposentadorias do INSS

Motivos da greve no INSS

O motivo da greve é para que haja um reajuste salarial para os servidores do Instituto. Eles também pedem melhorias nas condições trabalhistas e o fim das discussões em torno da Reforma Administrativa, que poderia atingir os novos servidores com regras mais duras para o funcionalismo público.

Alguns estados aderiram à paralisação do INSS agora, como a Bahia. Dessa forma, os sindicatos locais afirmam que 140 pontos de atendimento e sete gerências estão fechados em todo o estado. 

No Paraná, a greve também começou nesta semana, porém nem todos os funcionários aderiram ao movimento. Segundo sindicatos locais, agências de apenas 15 cidades paranaenses fecharam. As outras funcionam normalmente. 

Por outro lado, em Sergipe, estima-se que mais de 70% dos funcionários do INSS entraram em greve nesta segunda-feira (28).

Greve no Banco Central

Na última segunda-feira (28), funcionários do Banco Central (BC) também aprovaram o início de uma greve geral. Durante a assembleia geral, os servidores da instituição decidiram que o movimento começa oficialmente na próxima sexta-feira (1) e será por tempo indeterminado. 

Assim como os servidores do INSS, os empregados do Banco Central também pedem um reajuste salarial e melhores condições de trabalho. A direção do BC ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto. 

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar

Fechar