Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Imposto de Renda: confira o calendário da restituição

0

Embora o prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física tenha sido prorrogado até o dia 31 de maio, o calendário dos lotes de restituição do IR 2022 continua o mesmo, com início em maio e término em setembro.

É provável que você também goste:

Como declarar imóvel e carro no Imposto de Renda

Imposto de Renda: enviou a declaração com erro? Saiba como corrigir

Receita Federal e PGFN lançam edital para contribuinte negociar impostos

Lotes

A restituição terá início no dia 31 de maio e será dividida em cinco lotes, sendo que o primeiro lote prioriza o pagamento a pessoas acima de 60 anos, pessoas com deficiência física ou mental ou moléstia grave, além de contribuintes que possuem como maior fonte de renda o magistério.

Depois de restituir as quantias aos contribuintes prioritários, o restituição segue de acordo com a data de envio da declaração.

Esse ano, os contribuintes poderão receber a restituição via Pix. Entretanto, o crédito nesta categoria será efetuado apenas para chave Pix igual ao CPF do titular da declaração. Não serão admitidos chave aleatória, e-mail ou telefone.

Calendário de Restituição do Imposto de Renda 2022

O cronograma de restituição que havia sido divulgado anteriormente será mantido, conforme calendário abaixo:

  • 1º lote – 31 de maio;
  • 2º lote – 30 de junho;
  • 3º lote – 29 de julho;
  • 4º lote – 31 de agosto;
  • 5º lote – 30 de setembro.

Prorrogação do prazo de entrega

No início de abril, foi prorrogado o prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda 2022, que antes era até dia 29 de abril, depois passou a ser até 31 de maio. A Receita Federal afirmou que a prorrogação do prazo foi devido aos efeitos causados pela pandemia.

Em 2021 também houve prorrogação do prazo de entrega das declarações do Imposto de Renda, que foram até dia 31 de maio, devido a pandemia da Covid-19.

Já em 2020, pelo mesmo motivo, o prazo de entrega da declaração também foi prorrogado, porém foi um pouco maior, até dia 30 de junho.

O cidadão que é obrigado a declarar e não o fizer ou enviar após o prazo estabelecido, terá que pagar multa a partir de R$ 165,74, podendo chegar ao valor de 20% do imposto devido.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal no YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, InstagramTwitch. Assim, você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Alison Nunes Calazans / Shutterstock.com

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar

Fechar