Conforme nota divulgada pelo Santander, o banco aumentou o limite de financiamento de 80% para 90% do valor do imóvel residencial. Sendo assim, a entrada foi reduzida de 20% para apenas 10% do valor do imóvel. Por exemplo, se você pretende comprar um imóvel cujo valor seja de R$ 100 mil, em vez de pagar R$ 20 mil de entrada, agora você paga só R$ 10 mil e pode parcelar o resto do valor.

É provável que você também goste:

PEC 45/2019: Câmara, Senado e governo querem eliminar e simplificar impostos

Emprestar cartão de crédito vale a pena? Veja os pontos positivos e negativos.

Caixa vai lançar financiamento da casa própria com juro prefixado em até 35 anos

Entretanto, salientamos que o aumento do limite para financiamento imobiliário só vale para a modalidade de financiamento com parcelas atualizáveis, que é quando o contrato é atualizado mensalmente de acordo com a TR (Taxa Referencial). A TR nada mais é do que o atual índice de remuneração básico da poupança. Na modalidade de financiamento com parcelas atualizáveis, as parcelas ficam menores com o passar do tempo.

Os financiamentos imobiliários do Santander podem ser parcelados em até 420 meses (35 anos), enquanto que a taxa mínima de juros pode chegar a 7,99% ao ano, além da TR. Entretanto, essas condições só valem para compra de imóveis residenciais a partir de R$ 90 mil.

Como conseguir melhores condições de financiamento?

Uma das vantagens desse financiamento é, principalmente, o fato de você poder somar sua renda com a de outra pessoa ao fazer a análise de crédito. A pessoa que for somar a renda com você não necessariamente precisa ter grau de parentesco com você, vale salientar. Além disso, também é possível usar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) no financiamento imobiliário do Santander.

A aprovação do financiamento, é claro, está condicionada à análise de crédito feita pelo Santander.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: manusapon kasosod, via Shutterstock.