Deputados estão pressionando Paulo Guedes (ministro da Economia) a elevar a meta de gastos e pagar salários de funcionários de empresas privadas afetadas pelo coronavírus. Se aprovada, essa medida deverá valer pelos próximos três meses seguintes à pandemia de coronavírus. Uma das possibilidade cogitadas é liberar o seguro-desemprego por até 90 dias, suspendendo temporariamente os contratos formais de trabalho vigentes.

É provável que você também goste:

Saiba como vai funcionar o novo cartão de crédito XP Visa e a sua conta digital

Coronavírus: Governo pedirá reconhecimento de estado de calamidade pública ao Congresso

Confirmado: Uber vai pagar motorista que parar de trabalhar por causa do coronavírus

Essa proposta será discutida hoje (18), em uma reunião no Palácio do Planalto, envolvendo Jair Bolsonaro, Paulo Guedes e outros ministros. Entretanto, Paulo Guedes, que é conhecido por seu rigor no controle de gastos, é contra a medida.

Governo poderá estourar Orçamento para pagar salários de funcionários de empresas afetadas pelo coronavírus

No entanto, não são todas as empresas que seriam beneficiadas por essa proposta. A ideia é ajudar principalmente os setores mais prejudicados pela pandemia, como companhias aéreas, empresas de turismo, bares e restaurantes. Além disso, para a implementação da medida, é necessário que duas mudanças sejam aprovadas no Congresso: uma modificando a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e outra permitindo estourar o Orçamento do governo.

O valor do Orçamento definido para 2020 é de R$ 124,1 bilhões, mas esse valor pode ser extrapolado caso o Congresso acate o pedido de estado de calamidade pública que deverá ser enviado pelo governo.

Por fim, a exemplo de Donald Trump, Bolsonaro também pretende criar uma espécie de “voucher coronavírus”. Esse voucher seria um benefício destinado principalmente aos trabalhadores informais prejudicados pelo coronavírus.

Essas medidas para pagar salários de funcionários de empresas afetadas pelo coronavírus e o “voucher coronavírus” estão sendo reivindicadas por vários ministros. Segundo eles, é fundamental que o governo adote medidas durante essa crise para não perder apoiadores.

Além desses ministros, Rodrigo Maia (presidente da Câmara dos Deputados) também apoia tais medidas. Ele recentemente se declarou a favor de medidas como estourar o Orçamento de 2020 e do fechamento das fronteiras.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: sigiuz, via Shutterstock.