O Governo Federal anunciou que pedirá ao Congresso Nacional o reconhecimento de Estado de Calamidade Pública. A medida, divulgada por meio de nota da Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República, será válida até 31 de dezembro de 2020.

É provável que você também goste:

Presidente do Santander morre vítima do coronavírus

Saiba como vai funcionar o novo cartão de crédito XP Visa e a sua conta digital

Governo vai adiar pagamento do Simples Nacional e depósito do FGTS por três meses

O pedido de reconhecimento do estado de Calamidade Pública deverá chegar ao Congressos Nacional por mensagem presidencial. Como a Comissão de Constituição e Justiça não está instalada, a mensagem deverá ser analisada diretamente pelo Plenário da Câmara. Em seguida, será designado um relator para oferecer um parecer. Esse parecer já apresentará uma proposta de decreto legislativo que passará por votação no Plenário da Câmara e seguirá para o Senado.

Reconhecimento de estado de calamidade pública permite estourar o Orçamento

Segundo nota da Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República “em virtude do monitoramento permanente da pandemia Covid-19, da necessidade de elevação dos gastos públicos para proteger a saúde e os empregos dos brasileiros e da perspectiva de queda de arrecadação, o governo federal solicitará ao Congresso Nacional o reconhecimento de Estado de Calamidade Pública”.

Além disso, “o reconhecimento do estado de calamidade pública tem suporte no disposto no art. 65 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que dispensa a União de atingir a meta de resultado fiscal prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e, em consequência, da limitação de empenho prevista na LRF.

Na nota, o governo reafirma ainda seu compromisso com as “reformas estruturais” e a “manutenção do teto de gastos”, necessários para garantir confiança e investimentos e recuperar o crescimento da economia.​

Conforme noticiado aqui no Seu Crédito Digital, entre os objetivos do aumento dos gastos públicos estão, principalmente, pagar salários a funcionários de empresas prejudicadas pelo coronavírus e ajudar os trabalhadores informais.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Chan2545, via Shutterstock.