Segundo informações do jornal O Globo, o Banco do Brasil estaria no rol de privatizações da equipe econômica de Bolsonaro. O ministro da Economia, Paulo Guedes, e sua equipe se preparam para iniciar processo que pode levar à privatização do Banco do Brasil. Tal processo não seria executado no curto prazo, porém poderia ocorrer até o fim do mandato atual, em 2022.

É provável que você também goste:

Fiat e Visa se unem para transformar carro em cartão de crédito.

Caixa pode baixar juros e ampliar microcrédito após Bolsonaro falar sobre queda da Selic

Caixa abre mais cedo e fecha mais tarde nesta segunda-feira para saques de até R$ 500 do FGTS

Em nota, o Ministério da Economia informa que o governo Bolsonaro “não pretende privatizar Banco do Brasil, Caixa e Petrobras”. O banco, por sua vez, não comentou as afirmações. Apesar da negação, o tema já estaria sendo discutido dentro do governo. A privatização do Banco do Brasil chegou, inclusive, a ser abordada durante reunião do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), o braço de privatizações do governo federal, realizada há duas semanas.

Segundo uma fonte que participa das negociações, o ministro Paulo Guedes tenta convencer Bolsonaro a já incluir o Banco do Brasil nas privatizações que serão enviadas ao Congresso em 2020. Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil, é um dos membros do governo que defendem a privatização. Ele inclusive já declarou publicamente que a privatização do Banco do Brasil é algo inevitável.

De acordo com a consultoria Economática, o valor de mercado atual do Banco do Brasil é de R$ 133 bilhões. Todo esse valor, é importante salientar, não pertence à União, que detém o equivalente a R$ 66 bilhões do Banco do Brasil.

Entraves políticos à privatização do Banco do Brasil

O Banco do Brasil já passou por diversas mudanças que seriam uma espécie de preparação para a venda, como, por exemplo, desinvestimentos e alterações na governança corporativa. No entanto, o crédito agrícola seria um dos principais entraves a uma eventual tentativa de privatizar o Banco do Brasil.

Paulo Guedes tem como objetivo vender todas as empresas públicas, no entanto ele sabe das dificuldades que teria no congresso para aprovar privatizações de grandes empresas. Por isso, alguns emissários do ministro já estão avaliando como os deputados lidariam com esse tema.

Ademais, há também questões burocráticas a serem resolvidas. Empresas como Banco do Brasil, Petrobras, Eletrobras e Caixa Econômica Federal precisam de leis específicas para serem privatizadas. Conforme aliados do governo, seria menos difícil aprovar uma privatização do Banco do Brasil do que uma da Caixa.

De acordo com a equipe econômica do governo, a privatização do Banco do Brasil tornaria o crédito mais acessível. Ainda na visão deles, o setor do crédito seria atualmente excessivamente concentrado e pouco competitivo. Portanto, o ideal seria se o banco fosse administrado por uma empresa estrangeiro.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.