O PicPay, carteira digital do Banco Original que possui mais de 14 milhões de usuários cadastrados, quer conhecer melhor seus clientes. Para isso, o PicPay investirá em inteligência artificial, criando algoritmos para conhecer melhor clientes e parceiros. Dessa forma, a empresa poderá entregar produtos e serviços totalmente de acordo com os desejos dos clientes. A meta da empresa é atingir a marca de 100 milhões de clientes cadastrados.

É provável que você também goste:

Passagens aéreas para a Ásia são oferecidas de graça por causa do coronavírus

Nubank faz alerta sobre importância do uso de senhas fortes

Encontre os estabelecimentos perto de você que aceitam PicPay

PicPay investirá em inteligência artificial

Isaac Ben-Akiva, doutor pela Universidade de Toronto, é quem deve chefiar o projeto, ocupando o cargo de diretor de inteligência artificial do PicPay. A área de inteligência artificial do PicPay possuía apenas 200 colaboradores no início do ano passado, mas até o final de 2020 deverá ter 1.800 funcionários.

Segundo Bem-Akiva em entrevista ao Estado, “a aplicação que teremos de IA não será conservadora. O grande objetivo é entender o cliente. Se você consegue uma boa representação, você tem a possibilidade de criar modelos preditivos mais fortes e precisos”. Dessa forma, seria possível compreender características psicossociais do cliente e usá-las em conjunto com o histórico de transações.

Score de crédito poderá perder importância na avaliação de clientes

A tendência do mercado financeiro brasileiro é que as empresas comecem a ir além de dados comuns, como score de crédito e histórico de compras. Sendo assim, com o uso da inteligência artificial, dados como frequência e tipo de compras feitas pelo usuário também poderão ser considerados.

Conforme Gueitiro Genso, presidente executivo do PicPay, “o PicPay tem um elemento social, que permite o cadastro de amigos e, com ele, movimentações financeiras. Com isso, é possível fazer correlações que permitem oferecer produtos”.

Além disso, também há a possibilidade de se buscar dados do comportamento do consumidor em outras redes sociais. No entanto, isso não deve ocorrer em um primeiro momento, visto que esse tipo de consulta desperta críticas e desconfiança. A criação de uma relação de transparência com seus clientes sem dúvida é uma preocupação do PicPay.

Ben-Akiva diz inclusive que é possível buscar dados de comportamento em outras redes sociais, como Instagram, mas que isso não é desejável no momento, dado o grau de críticas e desconfiança que vivem os gigantes da tecnologia. “Isso envolve um contrato social. Tem de ser tudo transparente”.

O primeiro modelo de inteligência artificial já começou a ser criado pelo PicPay no final de fevereiro. Esse modelo tem como objetivo melhorar o pagamento de cashback aos clientes. Portanto, a ideia inicial é criar promoções de acordo com o perfil de cada cliente.

Por fim, o PicPay espera servir futuramente como plataforma de crédito para outras empresas. Além disso, a companhia também deseja ter um analista financeiro automatizado para cada cliente.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: rafapress, via Shutterstock.