STF marca data de julgamento para definir correção do FGTS. O trabalhador registrado em Carteira entre 1999 até 2013 pode ter direito à revisão. Ou seja, caso você tenha trabalhado entre os anos de 1999 a 2013 e teve depósitos de FGTS realizados em sua conta vinculada, pode ter direito a correção de todos esses valores. Isso vale para o dinheiro que está depositado e também para o que já foi sacado das contas de FGTS dentro desse período.

É provável que você também goste:

digio lança cartão virtual para compras online antes de receber o cartão físico

Ebanx lança conta digital grátis, concorrente do Nubank e com cashback de 5% no AliExpress e Spotify

Governo está dando R$ 350 de bônus do Bolsa Escola 2020 para quem recebe o Bolsa Família?

Segundo advogados especialistas, o trabalhador já perdeu mais de 88,3%, mas pode ter o seu dinheiro de volta com juros e correções que não foram pagos.

Novo julgamento está marcado para definir como será feita a correção do FGTS

O STF (Supremo Tribunal Federal) já marcou para o dia 6 de maio deste ano, a sessão que pode definir a correção do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), e que pode beneficiar milhões de pessoas.

Portanto, os ministros da Corte irão definir se a correção do FGTS será de acordo com a inflação ou se será mantida a regra vigente no país, que garante a atualização dos valores pela TR (Taxa Referencial) mais 3% ao ano.

A aplicação da TR (Taxa Referencial) para corrigir o fundo foi definida em 1991, mas está gerando prejuízos a quem trabalha com carteira assinada. Isso acontece devido ao índice ficar zerado, o que faz com que os trabalhadores tenham somente 3% de correção ao ano, com períodos de perda para a inflação, quando há uma alta de preços no país.

Você ainda pode entrar com ação?

Sim, caso você se sinta lesado, você ainda pode entrar com ação judicial pedindo a devolução. Portanto, procure um advogado de sua confiança.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Fonte: Simoesfilhoonline, Exame.

Imagem: Brenda Rocha/Shutterstock.