Tenho nome limpo, mas não consigo crédito. Cuidado: Endividamento no SCR funciona como uma “Serasa oculta”

0

Você já ouviu falar no relatório SCR do Registrato? O relatório SCR – Sistema de Informações de Crédito do Banco Central, informa TODOS os seus endividamentos. Ou seja, mostra o nome das instituições financeiras e as dívidas a vencer e vencidas que você já tem. Enfim, essas informações são usadas pelas empresas na hora de conceder crédito, e podem atrapalhar muito na hora de conseguir crédito, como cartões de crédito, empréstimos e financiamentos. Ficou curioso sobre o impacto disso na sua vida financeira? Continue a leitura e saiba como consultar o SCR e como melhorar a sua impressão para conseguir mais crédito.

É provável que você também goste:

Banco Mercantil do Brasil disponibiliza adesão ao PIX em seus canais digitais

Por que algumas pessoas não conseguem sacar R$ 1045 no saque emergencial do FGTS?

Quanto tempo leva para o Serasa Score aumentar após ficar com o nome limpo?

Está com o nome limpo? Endividamento no SCR funciona como uma Serasa oculta

O que é o Registrato?

O Registrato é um sistema do Banco Central do Brasil que disponibiliza os seguintes relatórios (com informações extraídas do site do BACEN):

Sistema de Informações de Crédito do Banco Central (SCR)

O SCR contém informações sobre todas as operações de crédito (empréstimos, financiamentos e outras) obtidas pelo cidadão junto às instituições financeiras, com valor total igual ou superior a R$200,00 (duzentos reais). Não incluídos no SCR os limites pré-disponibilizados ao cliente pela instituição, nem informações sobre aplicações financeiras.

Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional (CCS)

Este relatório contém informações sobre os relacionamentos (como conta corrente e poupança) do cidadão com as instituições financeiras, vigentes desde 01.01.2001.

Relatório de Operação de Câmbio e Transferências Internacionais

Relatório de Operação de Câmbio e Transferências Internacionais que contempla informações referentes aos registros de operações de câmbio ou de transferências internacionais vinculadas a um CPF ou a um CNPJ, em um dado período de tempo.

Cabe ressaltar que os relatórios são disponibilizados pelo Banco Central do Brasil, mas todos os dados são de responsabilidade das instituições financeiras. Ou seja, qualquer inconsistência nessas informações, podem e devem ser cobradas dos bancos, fintechs e financeiras.

Por que foi criado o SCR?

O SCR foi criado para auxiliar os bancos na hora de conceder crédito, como na liberação de cartões de crédito, empréstimos e financiamentos aos clientes. Você já deve ter percebido que ao solicitar um cartão de crédito, você autoriza determinada instituição financeira a consultar o SCR (normalmente em letras miúdas).

Ao mesmo tempo, os bancos informam todas as operações de crédito realizadas pelos seus clientes que sejam acima de R$ 200. Essas informações ficam disponíveis para consulta por outras instituições financeiras.

Por exemplo, se você fizer um financiamento habitacional na Caixa Econômica Federal no valor de R$ 200 mil, no relatório de “Meus Endividamentos (SCR)”, aparecerá o nome da CEF, valor a vencer e vencido, e o valor do prejuízo, se ocorrer um eventual calote.

A minha dívida caducou, aparece no SCR?

Se você deixou uma dívida caducar, ela vai aparecer como prejuízo no relatório “Meus Endividamentos (SCR)”. Dessa forma, mesmo com o nome limpo através da prescrição da dívida, após aguardar cinco anos, você terá essa marca registrada no seu histórico financeiro. Ou seja, os bancos vão saber que você ficou devendo e não pagou a dívida. Isso acaba atrapalhando demais na hora de conseguir crédito.

Portanto, mesmo que você consiga ir aumentando o seu Score de crédito, não adianta. As instituições financeiras vão saber que você teve uma dívida no passado e que não pagou, gerando prejuízo financeiro para determinada instituição.

Dessa forma, além de nunca mais conseguir crédito onde você ficou devendo, vai demorar até conseguir crédito novamente. Entretanto, você vai saber sempre que tiver que autorizar uma instituição financeira a consultar o SCR. Existe no SCR uma exigência para que as instituições financeiras tenham autorização específica de seu cliente para a realização de consulta de seus dados no SCR.

Por quanto tempo a dívida aparece no SCR para as empresas?

O SCR submete-se à disciplina do Código de Defesa do Consumidor, e não pode conter registros referentes a período superior a 5 anos. Contudo, os prejuízos seguem sendo lançados, até que você elimine a dívida junto à instituição. Com isso, pode acontecer de aparecerem registros antigos na sua consulta.

Recentemente, o Banco Central ampliou de 12 para 24 meses o período de acesso às informações do SCR. As empresas podem consultar os últimos dois anos, lembrando que podem saber quanto você tem de limite em outras instituições, além de acesso a dívidas, como empréstimos e financiamentos e eventuais prejuízos causados ao Sistema Financeiro Nacional.

Como melhorar o SCR?

Primeiramente, para melhorar a sua impressão no SCR, você pode adotar vários procedimentos. Evite ter limite não utilizado no cartão de crédito, procure por dívidas antigas e tente quitá-las sem causar prejuízo à instituição. Neste caso, não vale aproveitar promoções para limpar o nome. O ideal é conversar com a instituição financeira e se certificar se o seu nome também estará limpo no SCR do BACEN.

Como consultar o SCR?

Pessoas físicas e jurídicas podem acessar seus dados cadastrados no SCR, gratuitamente, por meio da internet, cadastrando-se no seguinte endereço eletrônico: https://www.bcb.gov.br/cidadaniafinanceira/registrato.

Para realizar o seu credenciamento, você deve optar pelos seguintes meios:

  • Celular
  • Internet Banking
  • Certificado Digital (e-CPF A3)
  • Pessoalmente, exclusivamente no Banco Central em Brasília.
  • Através de correspondência endereçada para: Setor Bancário Sul (SBS) Quadra 3 Bloco B – Ed. Sede. Brasília – DF. CEP: 70074-900.

Por fim, maiores informações você pode obter aqui.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc.

Imagem: Sellwell / Shutterstock

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais