Os brasileiros estão cada vez mais adeptos às fintechs, que são as startups que unem tecnologia e finanças. Elas oferecem cartões de crédito e débito, contas digitais e opções de pagamento online para a população que não tem conta em banco, ou está insatisfeita com as taxas abusivas das grandes empresas. Já existem diversas startups com o propósito de criar contas acessíveis, como Nubank, Banco Inter, C6 Bank, Neon, etc. Porém agora surge no mercado uma fintech que, além de entregar soluções financeiras, quer proteger a Amazônia, a UzziPay.

É provável que você também goste:

Black Friday: como identificar e se proteger da fraude do boleto bancário

Maioria dos brasileiros encerra o mês no negativo ou no zero a zero

UzziPay: conheça a fintech que quer ajudar a Amazônia

A UzziPay já tem um contrato para a preservação de 700 hectares de floresta Amazônica. Essas milhares de árvores podem ser mantidas com a abertura de uma conta digital na fintech. A área de preservação é em Rondônia, onde já foi feito o manejo florestal sustentável.

Agora a empresa reinicia o processo de fortalecimento das espécies de árvores nativas com a preservação daquelas de flores e frutas. “UzziPay acredita que é possível preservar a natureza enquanto você preserva seu dinheiro”, é o que diz o site da startup.

O que a fintech oferece aos clientes

Além de disponibilizar pagamentos via QR Code, a UzziPay oferece conta sem taxa de manutenção e cartão internacional pré-pago sem anuidade, da bandeira Mastercard. As transferências também são gratuitas. A conta também oferece depósitos, saques, pagamento de boletos e recarga de celular. Por enquanto, a empresa não faz análise de crédito para aceitar novos clientes.

O pagamento por QR Code disponibiliza o valor em tempo real para quem está recebendo. “Com esta tecnologia, além da segurança e agilidade, o fornecedor melhora seu fluxo de caixa e pode oferecer melhores negociações ao cliente, pois, o custo é bem menor que o envolvido nas operações comuns que necessitam de cartões de débito ou crédito”, diz o Chief Marketing Officer da UzziPay, Márcio Barnabé.

Aplicativo UzziPay  já tem 5 mil downloads

O marketing da fintech é focado nos estados do norte do país. Com 30 dias após o lançamento, o aplicativo já tinha 5 mil downloads, estando disponível para Android e IOS. Entre as novidades que a UzziPay vai lançar em breve, estão o cartão de crédito e a conta digital para empresas, que também irá colaborar na preservação da Amazônia.

Os tipos de conta oferecidos pela UzziPay

Existem vários planos diferentes que são ofertados pela fintech amiga do meio ambiente. O plano Folha é o mais básico: tem manutenção de conta gratuita, duas TEDs gratuitos por mês, dois boletos para depósito por mês, além do cartão pré-pago e as recargas de celular.

Já o plano intermediário se chama Árvore e tem manutenção de conta de R$ 9,90 mensais. Também conta com duas TEDs gratuitos por mês e os boletos para depósito são quatro (dois a mais que o plano Folha). Esse plano permite vender por QR Code, cobrando uma taxa de 1%.

O plano mais completo é o Floresta, com manutenção de conta de R$ 12,90 por mês. O que muda é que podem ser emitidos 6 boletos por mês para depósito e podem ser feitas 4 TEDs gratuitas. A venda por QR Code também é sob a taxa de 1%.

Para todos os planos, são fixas as seguintes tarifas:

  • Tarifa de R$ 7,90 para saque na rede 24h;
  • R$ 5,90 para saque na lotérica;
  • Você paga R$ 29,90 para emissão de segunda via do cartão.

Fintechs com uma causa

Enquanto a UzziPay se volta para a causa do meio ambiente, há diversas startups usando seu espaço para apoiar causas diferentes. Um exemplo é a fintech Pride Bank, que é brasileira e foi pensada para o público LGBT.

O banco digital foi lançado em 14 de novembro e pretende destinar 5% dos lucros para a comunidade LGBT. Por enquanto, os serviços da fintech são apenas para convidados.

Segundo o site do Pride Bank, ele nasceu junto com o Instituto Pride, que ajuda a causa LGBT. Por enquanto eles contam com cartão pré-pago, que pode ser personalizado com o nome que a pessoa quiser, de acordo com o gênero que ela se identificar.

“Acreditamos que os serviços devem atender às pessoas e não o contrário. E – acima de tudo – devemos usar produtos que nos entendam. Em um contexto onde a igualdade de gênero e respeito à comunidade LGBTI+ são esforços diários, criamos um banco digital que entenda os desafios e necessidades e que apoie a comunidade em todas as suas esferas: desde serviços financeiros até apoio a causas e eventos”, diz a página da marca.

Essa é uma tendência de mercado que muitas startups estão aproveitando. Segundo uma pesquisa da Accenture Strategy, 83% dos consumidores brasileiros preferem comprar de empresas que defendem propósitos alinhados aos seus valores. A mesma pesquisa diz que 79% dos consumidores disseram que querem que empresas se posicionem em relação a assuntos importantes.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.