O Facebook não para de inventar novas soluções para inovar e se manter competitivo no mercado. Na terça-feira (12), a empresa de Mark Zuckerberg anunciou que está lançando o próprio sistema de pagamentos, o Facebook Pay. Ele funciona no Facebook e no Messenger e por enquanto está disponível apenas para os Estados Unidos. Não há nenhuma previsão de lançamento do serviço no Brasil ou em qualquer outro país.

É provável que você também goste:

Bradesco pretende tornar Next independente até março de 2020.

Cartões Itaú Mastercard vão sortear viagens para Miami e Orlando.

Senado aprova o saque de R$ 998 do FGTS, veja quem pode e como sacar.

Agora é oficial: Facebook Pay é lançado para enviar e receber pagamentos

De acordo com o próprio Facebook, o projeto é uma forma “conveniente, segura e consistente para enviar e receber pagamentos” pelas plataformas da empresa: Facebook, Instagram, WhatsApp e Messenger.

O que a nova ferramenta oferece

O Facebook Pay, para os usuários norte-americanos, permite compras de jogos, aquisição de ingressos, arrecadação de fundos – as chamadas “vaquinhas virtuais” – e realização de transferências para contatos na rede social. A ferramenta aceita a maioria dos principais cartões de crédito e débito e as transações são processadas em parceria com o PayPal, que entrou junto nesse projeto da rede social.

Se você está achando essa história familiar é porque recentemente, no primeiro semestre de 2019, o Facebook anunciou a Libra, sua própria moeda digital. Porém, o Facebook Pay nada tem a ver com ela. Os dois são projetos independentes.

“Criamos o Facebook Pay para armazenar e criptografar com segurança os números de seu cartão e conta bancária, realizar monitoramento antifraude em nossos sistemas para detectar atividades não autorizadas e fornecer notificações para atividades da conta”, afirma o Facebook.

Os principais concorrentes do Facebook Pay

Uma empresa que também está entrando no mundo dos pagamentos é a Apple. Junto com o banco Goldman Sachs, a empresa lançou em março deste ano o Apple Card, cartão de crédito com bandeira Mastercard.

O Google, por sua vez, anunciou nesta quarta-feira (12) que vai passar a oferecer uma conta corrente em 2020. O projeto se chamará “Cache” e será uma parceria com o banco Citi e uma cooperativa de crédito da Universidade de Stanford.

WhatsApp também terá ferramenta de pagamentos

O WhatsApp pretende implementar um sistema de pagamentos, para permitir que usuários transferissem e recebessem dinheiro de contatos, com a possibilidade da criação de uma criptomoeda própria. O Brasil pode estar na próxima leva de países a receber o lançamento.

O único local onde o WhatsApp Payments já está ativo é na Índia, onde ele opera integrado ao UPI, sistema unificado de pagamentos do país. Ele integra bancos e instituições financeiras locais. Os moradores da Índia podem associar o WhatsApp a uma conta bancária e transferir seu dinheiro a partir da sua conta corrente.

O WhatsApp quer se tornar uma ferramenta de comunicação entre empresas e consumidores. O próximo passo seria permitir a aquisição de produtos e serviços sem precisar sair do app.

Com aproximadamente 4 bilhões de usuários atualmente no Facebook, Instagram e WhatsApp, se essas plataformas permitirem transferências entre seus usuários, sem a intermediação de uma instituição financeira, será uma grande mudança na forma como fazemos pagamentos e transferências.

Países como a Suécia têm o projeto de acabar com o dinheiro em papel até 2020, por exemplo. Eles vêm trabalhando para esse objetivo há um tempo. Em 2018 menos de 1% das transações foram feitas com papel moeda no país. Lá é possível encontrar comércios em que o dinheiro em papel não é mais aceito.

Como fazer pagamentos digitais atualmente

Hoje em dia, não é possível fazer transferências de dinheiro pelas redes sociais no Brasil, porém existem diversas maneiras de enviar ou receber valores pelo celular. Os bancos digitais, por exemplo, permitem pagamentos via QR code e links que podem ser enviados pelas redes.

O Picpay, por exemplo, é um app de pagamentos que funciona quase como uma rede social. É possível transferir dinheiro para amigos por QR code, descontando do saldo da plataforma ou direto do cartão de crédito. Em alguns dias, a plataforma oferece cashback, ou seja, uma porcentagem do dinheiro de volta a cada transação. Também é possível usar o Picpay para pagar boletos ou fazer pagamentos em maquininhas da Cielo.

O Nubank também permite o pagamento rápido entre contas usando o celular, também com QR code. O app também permite fazer cobranças pelo app, em que você estipula o valor e manda um link para a pessoa, que pode pagar pelo próprio Nubank ou usando outro banco.

Outros bancos digitais também oferecem essa modalidade, como Banco Inter, C6 Bank e demais fintechs que operam no Brasil. Resta saber quando esses pagamentos digitais poderão ser feitos pelas redes sociais, diminuindo ainda mais o uso do dinheiro em papel, mas em contrapartida gerando mais dados sobre hábitos de consumo na internet.

O Itaú também lançou uma plataforma aberta (ITI) para pagamentos digitais, em que não é necessário ter conta no banco. O Banco Central também está discutindo o lançamento de uma plataforma própria para esse fim.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.