Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Banco não responde por transações no cartão antes da comunicação de roubo

Saiba mais sobre o ocorrido e como foi tomada a decisão.

0

Uma instituição bancária não é responsável por transações efetuadas antes da comunicação do roubo, furto ou extravio do cartão. Pelo menos foi assim que entendeu a 17ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, quando isentou um banco de devolver a um cliente valores descontados de sua conta após ter o cartão roubado.

Na ocasião, a vítima entregou seus cartões, com as senhas, aos criminosos. Após o roubo, foram feitas inúmeras compras com seu cartão. No dia seguinte, o cliente soube do crime e pediu o ressarcimento dos valores, mas o banco negou.

É provável que você goste também:

Nascidos em abril já podem sacar a 2ª parcela do auxílio emergencial

Amazon anuncia que vai contar com o Pix como forma de pagamento

Por que a Caixa é o pior banco do Brasil, apesar de ser o mais importante?

Banco não responde por transações no cartão antes da comunicação de roubo

Dessa forma, a vítima entrou com uma ação judicial. Em primeira instância, o banco foi condenado a restituir os R$ 7 mil debitados da conta do cliente, além do pagamento de indenização por danos morais, no valor de R$ 5 mil. No entanto, a sentença foi reformada pelo TJ-SP, em votação unânime.

Isso porque, de acordo com o relator Paulo Pastore Filho, as transações não reconhecidas pelo cliente ocorreram antes da comunicação ao banco sobre o roubo dos cartões. Ou seja, o banco não seria responsável pelo dano sofrido.

“Ora, em tais circunstâncias, não tinha o banco condições de saber que as transações levadas a efeito estavam sendo realizadas por terceiro que se passava pelo titular do cartão o qual, por sua vez, deve mesmo responder pelo pagamento dos débitos correspondentes”, afirmou.

“Não há como responsabilizar o banco”, diz relator

Por fim, como a ação dos criminosos ocorreu fora da agência bancária, o banco também não estava envolvido. Então, o relator pensa que a hipótese em exame configura fato de terceiro, causa excludente da responsabilidade civil.

“Dessa forma, não há como se responsabilizar o apelante pelas transações em comento, as quais se efetivaram mediante a utilização de cartão magnético e digitação de senha fornecida aos assaltantes pelo apelado, já que o evento danoso decorreu de culpa exclusiva de terceiros, causa excludente do dever de indenizar”, completou.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Assim, é só seguir o Seu Crédito Digital no YouTubeFacebookTwitterInstagram e Twitch. Contudo, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de créditoempréstimos etc. Siga a gente para saber mais!

Imagem: Andrey_Popov / Shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...