SPC revela o que homens e mulheres mais compram e escondem do parceiro

SPC revela o que homens e mulheres mais compram e escondem do parceiro. Segundo uma pesquisa nacional realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), três em cada dez brasileiros (29,2%) não sabem ao certo o valor do salário do parceiro (a). O estudo ainda revelou quais as compras mais “Escondidas” pelos homens e mulheres brasileiras. Além disso, foi revelada as estratégias utilizadas para que o parceiro (a) não descobrisse os gastos.

É provável que você também goste:

Na semana do Dia do Consumidor, bancos fazem mutirões para renegociar dívidas.

A sua dívida foi vendida, pode ser negativado no SPC e Serasa novamente?

Saiba quem pode pedir o empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa da Caixa.

SPC revela o que homens e mulheres mais compram e escondem do parceiro

Apenas 38,9% das famílias brasileiras conversam de forma aberta sobre os gastos e as receitas da casa todos os meses. Contudo, mesmo naquelas famílias em que os cônjuges falam sobre os seus salários, 29% omitem pelo menos uma despesa por mês do parceiro (a).

Segundo o levantamento realizado pelo SPC, as estratégias mais usadas pelos entrevistados para esconder as compras são: pagar com dinheiro (26,9%), não deixar o cônjuge ver a fatura do cartão de crédito e/ou extrato da conta corrente (15,9%) e chegar em casa antes do cônjuge para guardar as compras sem que ele veja (14,4%).

Itens mais “escondidos” pelas mulheres

A pesquisa do SPC mostra, portanto, que as mulheres compram e escondem do parceiro os seguintes itens:

  • Roupas (62,0%);
  • Calçados (59,9%);
  • Maquiagem, perfume e cremes (49,4%);
  • Acessórios (39,9%).

Itens mais “escondidos” pelos homens

Já os homens costumam compram e escondem da parceira o seguinte:

  • Produtos de carro e moto (24,2%);
  • Jogos (22,5%);
  • Cigarro e bebidas (15,0%);
  • Artigos esportivos (8,3%).

Decisões sobre o orçamento

Já em relação as decisões sobre o orçamento familiar, 52,9% dos entrevistados afirmam que são divididos de forma compartilhada entre toda a família e 25,3% dizem que não há discussão sobre o assunto.

As contas, contudo, são divididas igualmente para 32,6% entre os moradores que possuem renda. Em contrapartida, em 28,4% dos casos apenas um morador arca com todas as despesas.

Em 72,8% das famílias os moradores da casa concordam com todas as decisões sobre onde o dinheiro será destinado.

O mais comum quando sobre algum valor dos gastos familiares é guardar para usar no próximo mês (34,2%), e em 22,8% das famílias não há sobra de dinheiro.

Por fim, a pesquisa ainda revela que em 43,9% das famílias há pelo menos um morador que prejudica o equilíbrio financeiro da família. E em 56,1% dos lares ninguém gasta mais do que foi combinado.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Sobre o autor Ver Posts Author website

Luiz Felipe Kessler

Graduado em Administração de Empresas pela UFRGS.

Entusiasta de fintechs e tudo o que a tecnologia proporciona de facilidades em nossas vidas.

Fundador dos sites Seu Crédito Digital, Conexão Estudante e do Optclean Tecnologia.

Comentários no Facebook