Enquanto indústrias e representantes do poder público apresentaram maiores índices de contas de luz atrasadas, famílias de baixa renda estão conseguindo pagar as contas em dia. Foi isso que o levantamento da Aneel comprovou em maio de 2020. Este é possivelmente um efeito positivo do auxílio emergencial, que é um benefício pago a famílias de trabalhadores informais e de baixa renda de todo o país. O programa começou em abril, por causa da pandemia do novo coronavírus e as dificuldades econômicas que surgiram desde então.

É provável que você também goste:

Câmara planeja auxílio emergencial de até R$ 3 mil a agricultores

Quem fizer o Saque Emergencial do FGTS vai poder fazer o Saque-aniversário?

Site da Serasa quita dívidas de R$ 1 mil por R$ 100

Auxílio emergencial ajuda a reduzir inadimplência em contas de luz atrasadas

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou na segunda-feira (15), em reunião de diretoria transmitida online, bons índices sobre as famílias de baixa renda do país. Segundo o levantamento, no mês passado, estas famílias apresentaram uma redução no número de contas de luz atrasadas, quando comparado com os meses anteriores.

Mas o interessante é que essa situação não foi observada nas outras classes de clientes, e até mesmo em indústrias ou órgãos do poder público. Contas de luz atrasadas estão sendo uma realidade maior agora para estes segmentos.

Inadimplência e contas de luz atrasadas diminuem para famílias de baixa renda

Conforme informações da Aneel, o índice total de inadimplência entre os clientes das distribuidoras caiu muito em maio de 2020. O valor chegou a 4,5% de contas de luz atrasadas, contra um percentual de 10% em abril.

“Em abril houve um aumento do nível de inadimplência. Porém, no mês de maio houve redução e esse indicador apresentou valores no mesmo patamar dos valores verificados no ano de 2019 “, afirmou a especialista em Regulação da Aneel, Djane Melo.

A especialista ainda acrescentou que “podemos verificar que no mês de maio de 2020 houve um aumento da inadimplência em todos segmentos, com exceção do baixa renda… um dos fatores [para a redução] é a repercussão da política pública implementada pelo governo. O auxílio-emergencial começa a apresentar repercussão no segmento de baixa renda”.

Outros números bastante positivos também foram compartilhados pela Aneel. Em maio de 2020, as famílias de baixa renda tiveram a chamada “inadimplência negativa”, pois pagaram mais contas do que as emitidas durante o mês. Em maio de 2019, eram 13,75% de contas de luz atrasadas, mas agora esse número passou para 11,6% de “inadimplência negativa”. 

Por outro lado, clientes residenciais fora da categoria de baixa renda tiveram maior índice de inadimplência na comparação anual. Em maio de 2019 eram 1,5% de contas de luz atrasadas, contra 5,25% em maio de 2020.

Além disso, os números da indústria e do comércio também preocupam. Em maio de 2019 a inadimplência era de -0,8% (indústria) e -2% (comércio). Contudo, em maio de 2020 foram registrados 4,5% de contas de luz atrasadas para estes públicos.

Por fim, os números do poder público também são piores em 2020. Isso porque em 2019 eram -3,3% de contas atrasadas, e agora o valor chega a quase 8%.

Auxílio Emergencial ajuda famílias de baixa renda a pagar as contas em dia

Os números de contas de luz atrasadas começou a diminuir em maio, devido ao auxílio emergencial que começou a ser pago em abril. Nesse sentido, o benefício de R$ 600 ou R$ 1.200 para as famílias de trabalhadores informais tem se mostrado importante para a economia.

Além da concessão do auxílio emergencial, o governo também publicou uma medida provisória para isentar o valor da conta de luz por três meses para famílias carentes em todo o país. Para garantir mais este benefício, a MP 950 liberou R$ 900 milhões para a União.

Inicialmente, o auxílio emergencial também seria válido por três meses. Mas o governo estuda o pagamento de mais parcelas, bem como a criação de um novo programa para substituir o Bolsa Família quando o programa auxílio emergencial for encerrado.

A Aneel também anunciou a prorrogação da suspensão de cortes de luz até 31 de julho. Essa é outra medida criada durante a pandemia, principalmente para pessoas físicas e serviços essenciais. Leia mais clicando aqui.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem destacada: fukume, via Shutterstock.

Sobre o Autor

Jessica Thome

Redatora

Redatora e produtora de conteúdo, apaixonada por conhecer o mundo e uma boa conversa.

Ver todos os artigos