Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Como declarar empréstimos e financiamentos no Imposto de Renda

Veja o passo a passo para fazer a declaração da forma correta.

0

O prazo para envio do Imposto de Renda 2021 está quase um mês perto do fim, pois acaba no dia 30 de abril. No entanto, na hora de prestar as contas para a Receita Federal, muitas dúvidas aparecem. Uma delas é em relação a como declarar empréstimos e financiamentos no IRPF 2021. Assim, se você fez um empréstimo ou financiamento em 2020, ou já tinha alguma operação deste tipo ao longo do ano, é preciso declarar a dívida no Imposto de Renda deste ano. Mas existem algumas condições para isso. Confira mais a seguir.

É provável que você também goste:

EXCLUSIVO: diretor revela como funciona a análise de crédito do Banco Inter

Com avanço da pandemia, Banco do Brasil altera horário de atendimento presencial

Aposentados do INSS podem ter dupla isenção no IR 2021. Saiba se você tem direito

Como declarar empréstimos e financiamentos no Imposto de Renda

Então, como explicamos, quem contraiu algum empréstimo em 2020, ou ainda realizava pagamentos durante o ano, precisa declarar para a Receita; mas isso só vale caso os valores sejam superiores a R$ 5 mil. Isso se aplica tanto para crédito feito em instituições financeiras como para empréstimos com outras pessoas físicas, como um parente, por exemplo.

Esse último caso é bem comum, e muitas vezes não é declarado, por não ser considerado um empréstimo “tradicional”. Mas esse é um risco e pode dar margem para a Receita Federal caracterizar a operação como doação, o que acionaria o gatilho de outro imposto, o ITCMD. Veja a seguir como fazer de forma correta a declaração do empréstimo no Imposto de Renda 2021. 

Veja o passo a passo para fazer a declaração da forma correta

Portanto, para declarar empréstimos ou financiamentos, faça o seguinte: vá até a ficha Dívidas e Ônus Reais e selecione o código correspondente: 11 para banco (estabelecimento bancário comercial), 12 para sociedades de crédito, financiamento e investimento (como as financeiras), e 14 se a sua dívida for com uma pessoa física.

Por fim, na área de Discriminação, coloque informações sobre a dívida, como a data da operação e o nome e CPF ou CNPJ de quem fez o empréstimo. Também é preciso preencher o saldo devedor no final de 2019 e no final de 2020, nos campos “Situação em 31/12/2019” e “Situação em 31/12/2020”, respectivamente. Conforme a dívida for sendo paga, os saldos devedores declarados vão diminuindo. Informe o valor pago durante o período no campo específico para essa informação: “Valor Pago em 2020”. E pronto, a sua declaração está feita.

Enfim, o que achou da matéria sobre Imposto de Renda?

Então é só seguir o Seu Crédito Digital no YouTubeFacebookTwitterInstagram e Twitch. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc. Siga a gente para saber mais!

imagem: Bacho / shutterstock.com

Comentários
Carregando...