Com o intuito de resguardar os clientes de bancos, o Brasil criou em 1995, o FGC (Fundo Garantidor de Créditos). O fundo tem o objetivo de reunir instituições financeiras para funcionar como um “garantidor de depósitos e investimentos”. Isso significa que no caso e um banco quebrar, será devolvido aos clientes, o dinheiro que foi depositado em sua conta corrente ou ainda aplicado em investimentos. No entanto, o limite máximo é de R$ 250 mil.

Leia mais:

5 dicas para pagar as dívidas e limpar o seu nome.

Conheça a Warren: plataforma automatiza os investimentos de acordo com o perfil do usuário.

10 motivos para você abrir uma conta digital no Banco Inter e esquecer o Nubank.

Esse tipo de fundo existe em mais de 100 países do mundo e serve para dar estabilidade ao sistema financeiro. Até porque só pela sensação de ter um grantidor de depósito realizado em uma instituição financeira já diminui o risco do sistema. É natural que o medo de que um banco quebre, cause um pânico nas pessoas, que já se adiantam para tirar todo o dinheiro depositado. O FGC, portanto, causa uma estabilidade maior ao mercado, evitando que as pessoas retirem todo o dinheiro da instituição financeira.

E é por isso mesmo que são as próprias instituições que bancam o fundo, pagando de uma forma mensal. Até porque é realmente do interesse delas que os clientes não entrem em pânico e retirem todo o dinheiro.

O que é o FGC?

O FGC é uma entidade privada e sem fins lucrativos. Ela administra um sistema de proteção aos correntistas, poupadores e investidores, com o intuito de recuperar os depósitos ou créditos mantidos em instituição financeira. O valor resguardado é de 250 mil reais.

Caso queira saber mais informações sobre o Fundo, clique aqui e entre no site do Fundo Garantidor de Créditos.

Quais os créditos que são garantidos pelo FGC?

  • depósitos à vista ou sacáveis mediante aviso prévio;
  • depósitos de poupança;
  • depósitos a prazo, com ou sem emissão de certificado (CDB/RDB);
  • depósitos mantidos em contas não movimentáveis por cheques, destinadas ao registro e controle do
  • fluxo de recursos referentes à prestação de serviços de pagamento de salários, vencimentos,
  • aposentadorias, pensões e similares;
  • letras de câmbio;
  • letras imobiliárias;
  • letras hipotecárias;
  • letras de crédito imobiliário;
  • letras de crédito do agronegócio;
  • operações compromissadas que têm como objeto títulos emitidos após 08.03.2012 por empresa ligada.

Fundo de investimento não tem garantia do FGC

O dinheiro aplicado em fundo de investimento não tem garantia do FGC. Isso porque o patrimônio dos bancos não se confunde com o patrimônio dos fundos de investimento financeiro que eles administram.

Conclusão

Portanto, se você por acaso, está com medo de que o seu banco quebre e suma com o seu dinheiro. Pesquise se ele é associado no site do Fundo Garantidor de Créditos e se despreocupe porque você estará resguardado pelo valor de R$ 250.000,00. Sem dúvida o Fundo Garantidor de Créditos é uma segurança muito grande para os correntistas, haja vista a segurança de saber que suas economias estarão protegidas em caso de que o seu banco esteja impedido atuar no mercado financeiro.

Gostou do artigo?

Então nos siga no FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando todos os artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao mundo das fintechs.

Fonte: Banco Central.