Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Idec questiona Bureaus sobre dados coletados para a composição do score no novo Cadastro Positivo

0

O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) notificou na última sexta-feira (19) os Bureaus de crédito Boa Vista SCPC, Quod, Serasa Experian e SPC Brasil, além da Associação Nacional dos Birôs de Crédito (ANBC). O instituto solicitou informações sobre a natureza dos dados coletados. Bem como sobre as fontes que originam a produção do score do consumidor no novo Cadastro Positivo.

É provável que você também goste:

Trabalhadores poderão antecipar saques anuais do FGTS.

Sofisa Direto: como ganhar e usar bônus de R$ 50 com o Indique e Ganhe

Seja membro

Clientes de fora do BB podem fazer TED gratuita para pagamento do Pasep.

Idec questiona Bureaus sobre dados coletados para a composição do score no novo Cadastro Positivo

O Instituto tem acompanhado com preocupação os desdobramentos da implementação do novo Cadastro Positivo. Inclusive, que está em vigor desde o último dia 9 de julho.

Com a nova lei, a inclusão de todos os consumidores em um banco de dados administrado pelos Bureaus de crédito passa a ser automática. Ou seja, não dependendo mais do interesse do cidadão entrar na base de dados. Em troca, há a promessa de queda dos juros bancários e de facilitação de crédito.

Um dos pontos mais preocupantes da lei e que afeta diretamente os consumidores é a potencial violação ao direito à privacidade. Inclusive, isso é previsto na Constituição Federal. Ademais, também pode afetar o direito básico à informação clara e adequada previsto no Código de Defesa do Consumidor.

De acordo com Diogo Moyses, coordenador do programa de Direitos Digitais do Idec, o que importa ao consumidor, neste momento, é saber exatamente quais dados pessoais são empregados para a composição do score de crédito. Contudo, ainda restam muitas dúvidas sobre como eles são efetivamente utilizados.

“Há indícios de que estas empresas estão coletando e tratando dados que vão muito além daqueles expressamente permitidos e que nada têm a ver com dados econômicos sobre capacidade de pagamento. Isso configuraria uma violação à privacidade e extrapolaria o que está previsto na legislação”, alerta Moyses. “Os dados de navegação na internet, de geolocalização ou de aquisição de bens e serviços de uma forma geral estão sendo utilizados? É isso que o consumidor quer saber, e esse é um direito básico que precisa ser garantido”, conclui.

Após as notificações, o Idec aguarda manifestação das empresas e da associação para adotar as devidas providências.

Leia na íntegra as cartas encaminhadas para as empresas Boa Vista SCPC, Quod, Serasa Experian e SPC Brasil e para a ANBC.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Comentários do Facebook

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.